Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Sea Watch: Matteo Salvini responsabiliza a Holanda

O ministro italiano do Interior acusa a Holanda e a União Europeia de não se interessarem pela sorte dos migrantes que se encontram a bordo do navio Sea Watch 3. Num tweet, Matteo Salvini diz que escreveu à sua homóloga holandesa e que acha "incrível" que o governo não se interesse por um navio que navega com pavilhão holandês. Salvini pediu ainda a intervenção do governo holandês, junto do comandante e da tripulação do navio de forma a garantir o desembarque das pessoas a bordo, num local que não seja território italiano. O navio humanitário Sea Watch 3 socorreu no dia 12 de junho um grupo de 53 migrantes que viajavam num barco de borracha. O comandante do navio, que navega sob pavilhão holandês mas foi fretado por uma ONG alemã, recusou-se a conduzir os migrantes à Líbia, de onde tinham saído, por razões de segurança. Dez pessoas, entre as quais algumas mulheres grávidas, foram autorizadas a desembarcar na ilha de Lampedusa; os restantes continuam à espera de um porto seguro. Roma ameaça confiscar o barco e aplicar uma multa de 50 mil euros se entrar em águas territoriais italianas. Já este domingo, o governo de la Valetta anunciou que a marinha maltesa tinha socorrido 37 migrantes que se encontravam noutra embarcação, no Mediterrâneo.
image beaconimage beaconimage beacon