Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Sinais de alerta e conselhos para proteger idosos de ondas de calor

Logótipo de Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto 13/08/2017 Anabela de Sousa Dantas
Os idosos são um grupo de risco em épocas mais quentes. Núcleo de Estudos de Geriatria (GERMI) dá alguns conselhos sobre como ajudar as pessoas mais velhas durante ondas de calor.: Sinais de alerta e conselhos para proteger os idosos nas ondas de calor © iStock Sinais de alerta e conselhos para proteger os idosos nas ondas de calor

A ameaça de temperaturas elevadas para este verão levou o Núcleo de Estudos de Geriatria (GERMI) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) e emitir um alerta com dicas e conselhos para proteger os idosos, um grupo de risco em alturas mais quentes. O coordenador do GERMI, João Gorjão Clara, relembra, por exemplo, que as pessoas mais velhas “não têm a mesma capacidade de termorregulação”.

Nesta senda, o GERMI destaca os riscos associados ao calor, enumerando várias formas de proteger os idosos:

  • Banhos com água tépida. Ao tomar banho em altura de temperaturas mais elevadas a água deve ser tépida.
  • Usar protetor solar. Espalhar pelas partes do corpo que não se encontram protegidas pela roupa, especialmente na cara, em redor do nariz e das orelhas, onde a pele é mais sensível.
  • Ir para locais frescos. Deve dar-se preferência a locais mais frescos ou com ar condicionado, aí permanecendo nas horas de mais calor, e evitar a exposição direta ao sol.
  • Manter a hidratação. “Beber água é essencial, algo que é válido mesmo quando não se sente sede”, reforça o especialista, que aconselha “as bebidas naturais (água e sumos)”.
  • Roupas de algodão e cores claras. A escolha deve recair sobre roupas de algodão, mais leves e de cor mais clara. Deve usar-se chapéu e óculos de sol.
  • Alimentação mais leve. Evitar pratos mais pesados e comer em menos quantidades mas mais vezes ao dia. “As verduras, os alimentos frescos (carne, ovos e peixe) são boas opções”, reforça o coordenador do GERMI. Devem evitar-se alimentos não conservados no frio, não frescos, não preparados na altura e as bebidas alcoólicas. Na cozinha, deve evitar-se o uso do forno, que contribuiu para o aquecimento da casa.
  • Menos roupas de cama. Principalmente para pessoas acamadas.

Sinais de insolações ou de esgotamento por calor:

Os sintomas de insolação ou golpe de calor são febre alta, pele vermelha e sem suor, pulso rápido, dores de cabeça, tonturas, confusão e perda de consciência. Na evidência destes sintomas, estando o idoso a sentir-se mal, deve pedir-se ajuda médica.

O esgotamento devido ao calor surge quando há uma perda excessiva de água através da transpiração e os sintomas são sensação de sede, cansaço, cãibras, náuseas, vómitos, dores de cabeça e desmaio, frequentemente provocado por tensão arterial baixa.

O GERMI sublinha que, tanto no caso da insolação como do esgotamento, mesmo após pedir ajuda médica, deve colocar-se a pessoa num local ventilado e fresco, refrescá-la com panos húmidos ou salpicos de água fria, elevar as pernas e, em caso de desmaio, tentar despertá-la.

AdChoices
AdChoices

Mais do Notícias ao Minuto

image beaconimage beaconimage beacon