Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

As doenças autoimunes que mais interferem com o peso

Logótipo de Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto 15/02/2017 Daniela Costa Teixeira
© Fornecido por New adVentures, Lda.

Uma doença autoimune carateriza-se pela incapacidade do sistema imunitário agir contra as agressões internas a que é sujeito. Quando tal acontece, o próprio sistema imunitário começa a atacar os órgãos, os tecidos e as células, afetando o corpo num todo.

Embora as doenças autoimunes variem muito de umas para outras, existe um sintoma que é comum em quase todas e que é tido pelos médicos como o primeiro sinal de que algo não está bem. Falamos das mudanças constantes de peso, seja para um aumento ou para a perda.

Tal como destaca a revista Prevention no seu site, existem seis doenças autoimunes onde as mudanças de peso são frequentes, seja antes do diagnóstico ou já durante o tratamento.

Uma dessas doenças é a diabetes tipo 1. Ao contrário da diabetes tipo 2 – que pode ser impulsionada por maus hábitos alimentares e por um estilo de vida sedentário -, a diabetes tipo 1 é uma doença autoimune porque o sistema imunitário começa a atacar as células que produzem insulina no pâncreas, uma situação que altera os níveis de glicose no sangue e, por consequência, leva a uma perda de peso.

Também responsável pela perda de peso é a doença celíaca, uma condição que resulta da alergia ao glúten e que coloca em causa a capacidade do organismo absorver corretamente todos os nutrientes.

Já a doença de Addison provoca a perda de peso por afetar diretamente as glândulas adrenais, onde se regulam as hormonas que controlam o stress. Quando a produção hormonal é deficiente, podem ocorrer episódios de perda de apetite, náuseas e, por consequência, perda de peso.

Diz a publicação que se pode ainda incluir nesta lista a artrite reumatóide, uma vez que os fármacos e esteroides usados no tratamento tendem a proporcionar um ganho de peso nos pacientes, como explica o médico Mark Engelman.

Por controlar o metabolismo, a doença da tiroide é também um dos casos autoimunes que afetam a saúde e o peso, sendo comum o ganho ou a perda de uns quilos a mais, dependendo da quantidade em que a hormona é produzida.

Por fim, destaca a publicação, também a colite e a doença de Crohn são responsáveis por mudanças de peso, sendo a perda a situação mais comum, uma vez que ambas as doenças (embora afetem partes distintas do corpo) causam diarreia, dor de barriga e perda de peso.

AdChoices
AdChoices

Mais do Notícias ao Minuto

image beaconimage beaconimage beacon