Ao utilizar este serviço e o conteúdo relacionado, concorda com a utilização de cookies para análise, anúncios e conteúdos personalizados.
Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Os cinco momentos em que não deve comer hidratos de carbono

Logótipo de Notícias ao Minuto Notícias ao Minuto 08/08/2017 Daniela Costa Teixeira
Os hidratos de carbono são uma das melhores fontes de energia para o organismo, mas além de ser importante saber escolher, é também fundamentar saber quando (não) comer.: Os cinco momentos em que não deve comer hidratos de carbono © iStock Os cinco momentos em que não deve comer hidratos de carbono

Num plano alimentar saudável e equilibrado há espaço para tudo... até mesmo para os hidratos de carbono.

Apesar de os alimentos ricos neste macronutriente tenderem a ser muitas vezes renegados para segundo plano - especialmente quando o objetivo é perder uns quilos extra -, a verdade é que são tão importantes como aqueles que detêm grandes quantidades de proteína ou gordura, desempenhando o papel de combustível para o organismo.

Contudo, e tal como acontece com os outros dois macronutrientes, em que, por exemplo, é importante optar pela versão mais magra da proteína e pela versão menos saturada da gordura, também no que diz respeito aos hidratos de carbono é preciso saber escolher e identificar as versões mais amigas da saúde e da boa forma física. Mas não só, é ainda preciso ter um outro aspeto em conta.

Como destaca o site Bustle, o consumo de hidratos de carbono deve ser feito de uma forma mais inteligente e consoante o momento do dia... e dar ouvidos ao corpo é a melhor forma de saber quando comer ou quando evitar.

Quem pretende reduzir a sensação de inchaço, por exemplo, deve evitar ao máximo os hidratos de carbono, sejam eles complexos ou simples. E a justificação é simples: "um grama de hidratos de carbono precisam de três gramas de água", explica o personal trainer Robert Herst.

Mesmo sendo uma ótima fonte de fibra, os hidratos de carbono complexos devem ser evitados antes do treino, uma vez que o processo digestivo tende a ser mais lento e pode mesmo comprometer a peformance e o bem-estar. Contudo, o consumo de hidratos simples também não é uma boa opção, pois fará disparar os níveis de açúcar no sangue, fornecendo uma esporádica quantidade de energia.

Por darem uma sensação de saciedade e até mesmo algum cansaço e sonolência, as refeições ricas em hidratos de carbono (em particular as mais pesadas) não devem ser ingeridas antes de uma reunião ou de um momento de tensão no trabalho.

Nos casos de total sedentarismo, o consumo de alimentos ricos em hidratos de carbono deve ser igualmente evitado, não só para evitar um aumento do índice glicémico, mas por culpa da incapacidade de queimar calorias devido à inatividade. O mesmo acontece quando são ingeridos à noite, momento do dia em que a digestão é mais lenta e a probabilidade de mexer o corpo é nula.

"Quando os hidratos de carbono são ingeridos transformam-se em glicose. O nosso pâncreas recebe o alerta para criar insulina de modo a levar essa glicose através da corrente sanguínea até às nossas células, de forma a que seja usada pelo corpo como forma de energia", explica a treinadora Crysten Crockett, salientando que essa mesma energia não vai ser gasta e vai levar a que se acumule gordura.

Comer apenas alimentos ricos em hidratos de carbono sem os combinar com outros nutrientes, como a proteína, é também de evitar, pois isso vai fazer com que os níveis de açúcar no sangue aumentem e a sensação de fome seja constante.

AdChoices
AdChoices

Mais do Notícias ao Minuto

image beaconimage beaconimage beacon