Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Açores no top 10 dos locais a visitar este ano pelo New York Times

Logótipo de TVI24 TVI24 10/01/2019 Cláudia Évora
Reprodução de instagram de Caryn B. Davis Photography © TVI24 Reprodução de instagram de Caryn B. Davis Photography

O jornal New York Times criou uma lista de 52 destinos a visitar este ano. Portugal não só não ficou de fora, como está no top 10. O arquipélago dos Açores está em nono lugar dos destinos prediletos, à frente de lugares como Zadar (Croácia), Las Vegas (EUA), Salvador (Brasil), ou Costalegre (México).

A uma distância de quatro horas de avião dos Estados Unidos, o New York Times fala no “exuberante” manto verde, das “crateras vulcânicas gigantes”, que agora são lagos, das termas naturais que deitam vapor através da terra, das milhares de hortênsias azuis e, como não podia deixar de ser, dos únicos cultivadores e produtores de café da Europa.

Fala da gastronomia da ilha e nomeia alguns restaurantes: Casa do Abel, o japonês Otaka, e com comida característica da região, a Tasquinha Vieira. No que toca a hotéis, fazem referência ao Lava Homes, na Ilha do Pico, e ao Grand Hotel Açores Atlântico.

Em agosto do ano passado o New York Times já tinha feito uma reportagem sobre os Açores. A fotógrafa, e contadora de histórias, Caryn B. Davis, foi conhecer as “nove ilhas vulcânicas no meio do Oceano Atlântico”. E elegeu quatro especialidades desta região: café, queijo, vinho e chá.

Fala dos açorianos como um povo “mestre em reinvenção e ingenuidade”.

Aprenderam a cultivar chá e café, plantas não são nativas da ilha mas florescem no clima temperado e no chão vulcânico rico em minerais. Também preservam e aperfeiçoam tradições centenárias na produção de queijo e vinho para garantir a sustentabilidade e salvaguardar a sua cultura. Partilham com orgulho a sua herança agrária com os turistas que procuram uma autêntica experiência açoriana”.

Conheceu Manuel Nunes, um cultivador de café com 66 anos, que produz o seu próprio café para depois o servir no seu estabelecimento – Café Nunes, em Fajã de Vimes, na Ilha de São Jorge.

A minúscula quinta do Sr. Nunes é a maior plantação da Europa (…) a baixa altitude aliada à grande humidade faz com que este microclima seja ideal para o cultivo do café. Não há insetos na ilha que possam destruir os grãos, portanto não são precisos produtos químicos”.

Conheceu um negócio de família chamado Queijaria Canadá, situado em Santo Amaro, Ilha de São Jorge. Cujo produtor e dono do negócio é Manuel Silveira.

Teve ainda oportunidade de visitar a Azores Wine Company, situada no Monte do Pico, na Ilha do Pico. O co-fundador, António Maçanita, produz 40 mil garrafas ao ano.

E, por fim, mas não menos importante, o Chá Gorreana que é a maior e mais antiga plantação da Europa. Situada na Ilha de São Miguel, produz anualmente 40 toneladas de chá verde e preto que, além de ser vendido nos Açores, é ainda exportado para o Canadá, Estados Unidos e Europa.

AdChoices
AdChoices

More From TVI24

image beaconimage beaconimage beacon