Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Portugal é (ainda) um dos países da Europa onde é mais barato comprar casa

Logótipo de idealista idealista 02/10/2018 Redação
© Sérgio Rola/Unsplash

Comprar uma casa com cerca de 120 metros quadrados (m2) em Portugal custa em média 3.830 euros por m2, o mesmo que no ano passado e bem menos que na média da Europa (6.157 euros por m2). Portugal ocupa o 19º lugar do ranking, que contempla 38 países europeus.

Segundo o gabinete de estudos da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), que se apoia em dados do portal imobiliário internacional Property Guide, Portugal continua a ser, desta forma, um dos países da Europa em que é mais barato comprar casa. De referir que foram apenas comparados os preços por m2 de imóveis com cerca de 120 m2 localizados no centro das principais cidades europeias.

Portugal está a acompanhar a tendência das outras capitais europeias, que é a de subida ou manutenção dos preços das casas, que mesmo assim ficam muito abaixo de países como Reino Unido, França, Espanha ou Alemanha”, disse em comunicado Luís Lima, presidente da APEMIP.

Segundo o responsável, “o imobiliário português ainda tem potencial de valorização se o investimento estrangeiro for devidamente encaminhado para fora das grandes cidades”. “Apesar de haver um populismo negativo e generalizado sobre este tipo de comprador, a verdade é que este cria riqueza, emprego e novas dinâmicas económicas que são imprescindíveis, por exemplo, no interior do país”, referiu.

O líder dos mediadores reconheceu, no entanto, que o valor das casas por m2 não se adequa à generalidade das famílias portuguesas. E deixou um alerta: “Portugal entrou na rota do investimento imobiliário. Dificilmente os preços em Lisboa ou Porto cairão, porque estas cidades (...) deixaram de estar circunscritas ao investimento nacional. (...) Urge a necessidade de introduzir no mercado ativos a preços acessíveis, que saciem as carências habitacionais que hoje se verificam”.

AdChoices
AdChoices

Mais do idealista

image beaconimage beaconimage beacon