Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Travel - Top Stories - Destinos de sonho, férias baratas, praias, resorts, viagens

Cinco tendências que vão marcar as viagens em 2018

Logótipo de ExpressoExpresso 13/01/2018 Expresso

O que irá marcar o turismo em 2018? Uma pesquisa cruzando várias fontes, jornais e especialistas internacionais permite destacar algumas das tendências - que, no geral apontam para uma maior apetência dos turistas em descobrir locais únicos e que lhes proporcione uma experiência de viagem para a vida. Segue-se uma súmula das cinco maiores que prometem marcar o ano turístico:

1. Fugir de locais massificados, procurar destinos 'alternativos'

Escapar a sítios com multidões será a tónica para os “viajantes mais criteriosos” - destaca o jornal Independent, enfatizando que muitos irão sentir este ano o apelo de viajar a “regiões de Portugal menos conhecidas, como o Alentejo ou o Centro do país”. A Forbes reforça que “o apetite por destinos únicos e de conteúdo distintivo vai continuar a aquecer” e “aquela 'selfie' que toda a gente tira em frente à praça Duomo” já era. No geral, os viajantes têm cada vez menos interesse “no que é normal” e querem descobrir lugares que os surpreendam.

2. Descobrir a cultura local também é uma “aventura”

Cinco tendências que vão marcar as viagens em 2018 © Foto Ana Baião Cinco tendências que vão marcar as viagens em 2018

A sede dos turistas por “aventuras e experiências únicas” promete marcar 2018. O próprio conceito de 'aventura' está a mudar aos olhos da indústria de viagens, e segundo um estudo recente da associação norte-americana Adventure Travel Trade Association (ATTA), as experiências que envolvem risco e adrenalina estão a caír 45% a favor de “atividades que levam a descobrir novas culturas”, o que já está a levar os próprios operadores a reformatar os seus programas. Segundo o site norte-americano Intrepid Travel, já se assiste a crescimentos de 20% nas reservas de 'viagens de aventura' envolvendo 'tours' com aulas de cozinha, provas de vinhos ou visita a mercados locais. Com os turistas em todo o mundo abertos a “experiências marcantes e de descoberta”, abrem-se boas perspetivas a locais menos explorados em Portugal - Évora, Coimbra ou Guimarães a emergir como novos destinos culturais, a par de atividades de natureza nos Açores ou na serra algarvia, além de surf na costa vicentina e no oeste, entre muitos outros exemplos.

3. Serviços cada vez mais individualizados

A personalização vai ser a prioridade, e todos os que trabalham com turistas tenderão a deixar de os ver apenas como números, e a adaptar os seus serviços às necessidades de cada um. “Há um número crescente de hotéis a optar por tomar um passo à frente e a quererem diferenciar-se dos concorrentes na personalização dos serviços e nas experiências que oferecem aos seus hóspedes”, enfatiza o site Bizcommunity, chamando a atenção para as múltiplas possibilidades que as tecnologias abrem neste campo, que passam por mensagens, vídeos e apps individualizadas, a partir da informação sobre os clientes a que as unidades têm acesso.

4. Turistas 'reconciliados' com o ambiente, menus vegan e ioga ao nascer do sol

Os turistas são cada vez mais sensíveis a produtos e serviços amigos do ambiente, pelo que é de esperar em 2018 um 'boom' de todas as atividades associadas ao eco-turismo e ao turismo responsável.

“Os turistas vão querer visitar parques naturais e paisagens protegidas. Seguindo esta tendência, os hotéis mais exclusivos, com menos quartos e de construção ecológica começarão a ganhar importância”, prevê a Amara, consultora de marketing especializada em turismo com sede em Maiorca, avançando ainda perspetivas de crescimento para os “eco-hotéis, mesmo não localizados em zonas protegidas”, ou os “alojamentos equipados para entusiastas de ciclismo que oferecem atividades de contacto com a natureza e assim ganham pontos junto destes turistas verdes”. Em paralelo, também “a gastronomia confecionada com produtos orgânicos vai ser muito 'trendy', e cada vez mais hotéis optam por ter a sua própria horta onde os hóspedes podem colher vegetais ou fruta da época para fazer comida”. Na previsão do que será o turismo para 2018, o jornal The Times destaca a tendência de aumento dos menus vegan nos hotéis e outros alojamentos, a par de atividades 'zen' e pacificadoras, como fazer ioga ao nascer do sol.

5. Turquia volta em força

É uma das maiores tendências de mercado apontadas para 2018: o regresso em peso de destinos afetados por bombas ou atentados terroristas e que estavam há anos 'adormecidos' ou a meio gás. À cabeça, a Turquia, onde os grandes operadores turísticos já reforçaram este ano a operação em “centenas de milhares de novos lugares de avião”, como lembra o Independent. O jornal britânico frisa que com a desvalorização da libra os gigantes de viagens “podem fazer mais dinheiro com a operação neste país, onde o alojamento é barato”. Além da Turquia, também é de esperar o “crescimento dramático” de destinos como a Tunísia ou o Egito, ficando o aviso do Independent: “Aqueles que voltam ao Nilo na esperança de o ver sem multidões vão encontrar esses locais repletos de viajantes chineses que vão lá pela primeira vez, e que estão em grande crescimento desde os últimos quatro anos”.

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon