Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Eleições antecipadas na Áustria em setembro

As ondas de choque do terramoto político na Áustria vão sentir-se até ao verão. O presidente austríaco aceitou os argumentos do chanceler e vai convocar eleições antecipadas. Decisão anunciada depois da demissão do número dois do governo e líder da extrema-direita, envolvido num escândalo que expõe ligações comprometedoras com a Rússia. "Temos de fazer tudo para restaurar a confiança nas autoridades oficiais, nos nossos representantes na política. Por isso, respeitando os prazos determinados pela Constituição austríaca, anuncio eleições antecipadas para setembro," disse Alexander van der Bellen, depois de uma reunião com o chanceler austríaco. Sebastian Kurz diz que antecipar as eleições é um imperativo. "Seria impossível continuar como se nada fosse, depois do que aconteceu. Tenho de acrescentar que a antecipação das eleições não foi um desejo, mas uma necessidade. Para além disso, é importante garantir uma investigação profunda", afirma o chanceler e líder do partido popular. Kurz foi rápido a reagir às acusações contra o parceiro de coligação no governo. Em conferência de imprensausou mesmo as palavras da rua e disse: "basta!". Heinz-Christian Strache, líder do Partido da Livberdade, de extrema-direita, foi filmado a prometer a uma alegada sobrinha de um milionário russo a adjudicação de contratos públicos em troca de apoio financeiro. Milhares de pessoas saíram às ruas. Manifestaram desconfiança na classe política e pediram eleições antecipadas. Esperam agora um novo cenário de governo na Áustria, conscientes de que a campanha não vai afinal terminar daqui a uma semana, com a realização das eleições europeias.

A SEGUIR

image beaconimage beaconimage beacon