Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Bombista de Manchester é jovem inglês de 22 anos

No Jornal 2 Rosário Salgueiro acompanha em Manchester a reação da cidade ao atentado terrorista desta segunda-feira e Nuno Tiago Pinto analisa as ligações a Jihad Salman Abedi, 22 anos, um britânico de origem líbia é o bombista suicida de Manchester. Os serviços secretos norte americanos falam em ligações à Frente alNusra, uma afiliada da Al-Qaeda, e mais recentemente a grupos jiadistas na Líbia.No Jornal 2 Nuno Tiago Pinto, lembra que todos os grandes atentados na Europa aconteceram pelas mãos de extremistas naturais dos próprios países onde realizaram os atos de terror.Neste novo cenário o controlo de fronteiras é ineficaz e os instrumentos de radicalização são "a internet onde grupos como o Estado Islâmico investem muito no recrutamento de jovens ocidentais", explica o autor do livro Os Combatentes Portugueses do Estado Islâmico.O jornalista lembra que as medidas mais eficazes no combate à radicalização tem sido as políticas de integração das comunidades islâmicas, o diálogo com os imãs das mesquitas e o trabalho de sensibilização das famílias.Teresa May, que reuniu o gabinete de emergência, fala num ataque cobarde, abjeto e doentio. A chefe do governo visitou os feridos num dos hospitais pediátricos de Manchester. Muitos são vitimas de estilhaços da explosão que aconteceu no exterior da arena no momento em que as pessoas começavam a sair do concerto; outros são resultado da debandada que se gerou após o rebentamento.A explosão aconteceu às dez e quarenta e seis da noite. 21 mil pessoas tinham acabado de assistir ao espetáculo de Ariana Grande, uma cantora pop norte americana. Entre eles alguns portugueses que não constam no entanto nas listas de mortos e feridos deste atentado.Recorde-se que metade das vítimas mortais deste atentado têm menos de 16 anos, o mesmo acontecendo com os feridos, muitos dos quais as autoridades já revelaram estão em estado muito grave em diversas unidades de cuidados intensivos de dois hospitais da cidade de Manchester.
image beaconimage beaconimage beacon