Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

18 reinvenções bem-sucedidas de empresas

Logotipo do(a) Forbes Brasil Forbes Brasil 07/08/2020 Michael Solomon
Companhia anunciou que se tornará uma empresa farmacêutica © Getty Images Companhia anunciou que se tornará uma empresa farmacêutica

No final de julho, a Eastman Kodak anunciou que iria mudar radicalmente sua estratégia de negócios. Depois de mais de um século produzindo câmeras, filmes e outros equipamentos de fotografia, a companhia sediada em Rochester anunciou que se tornará uma empresa farmacêutica, sua nova missão impulsionada por um empréstimo de US$ 765 milhões do governo dos EUA para produzir “materiais iniciais” para medicamentos genéricos, em um esforço para combater a Covid-19.

Inúmeros investidores foram avisados ​​por meio de tuítes e notícias locais que especulavam sobre a nova iniciativa da Kodak. No dia anterior ao anúncio do acordo, foram negociadas mais de 1,6 milhão de ações da Kodak, aproximadamente sete vezes o volume médio diário nos 30 dias de negociação anteriores. As ações da Kodak subiram mais de 1.400% nos dois dias seguintes, fazendo com que seu valor de mercado subisse de US$ 100 milhões para mais de US$ 1,6 bilhão. No entanto, questionamentos estão sendo feitos sobre o motivo pelo qual o CEO, Jim Continenza, recebeu 1,75 milhão de ações pouco antes do anúncio do empréstimo. As opções de Continenza foram avaliadas em quase US$ 4 milhões na semana do anúncio. Essas ações –que a empresa alega serem compras programadas– agora valem cerca de US$ 50 milhões.

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Embora a mudança para a fabricação de produtos farmacêuticos possa parecer incoerente à imagem da Kodak, a empresa já produz produtos químicos para fotografia há décadas. Fundada em 1888 por George Eastman, a Kodak dominou o mercado fotográfico por quase um século –na década de 1970, a companhia controlava 85% do mercado de câmeras e 90% do mercado de filmes dos EUA. E, embora um engenheiro da Kodak tenha inventado a primeira câmera digital, em 1975, a empresa a viu como uma simples novidade, não enxergando seu potencial revolucionário. Cada vez mais menores, as receitas atingiram, em 1996, US$ 16 bilhões.

Em 2012, a Kodak estava falida. A empresa detinha pouco mais de US$ 2 bilhões em receita com ênfase em impressão e imagem. Então, em 2018, a companhia tentou capitalizar ao lançar uma criptomoeda própria para fotógrafos, chamada KodakCoin. O anúncio elevou o preço das ações, mas foi adiado e, silenciosamente, cancelado no mesmo ano. A última ação da Kodak pode mudar o destino da empresa, além de reforçar a cadeia de suprimentos farmacêuticos dos Estados Unidos.

Vai funcionar? Se a história dos negócios servir de indicativo, outras grandes empresas fizeram mudanças em seus modelos e conseguiram alterar o curso da marca. De Samsung e Slack a Taco Bell e Toyota, veja na galeria a seguir outras 18 reinvenções corporativas impressionantes.

Berkshire Hathaway  Fundada em 1839 por Oliver Chace, a Berkshire Hathaway começou como Valley Falls Company, uma fabricante têxtil em Rhode Island. Em 1962, a renomada empresa aterrissou no radar de Buffett, que tinha 32 anos, uma vez que ele percebeu que o preço das ações subia toda vez que o fabricante fechava uma fábrica. Então, ele comprou ações da Berkshire Hathaway por US$ 7,50 porque “era um estoque estatisticamente barato e negócios terríveis.” Atualmente, as muitas empresas de Berkshire incluem roupas íntimas (Fruit of the Loom), seguros (GEICO), fast food (Dairy Queen) e aviação privada (NetJets). As ações da Berkshire são vendidas por mais de US$ 290 mil e Buffett é o quarto homem mais rico do mundo –no valor estimado de US$ 73 bilhões, apesar de ter doado mais de US$ 37 bilhões nos últimos 14 anos.

Berkshire Hathaway Fundada em 1839 por Oliver Chace, a Berkshire Hathaway começou como Valley Falls Company, uma fabricante têxtil em Rhode Island. Em 1962, a renomada empresa aterrissou no radar de Buffett, que tinha 32 anos, uma vez que ele percebeu que o preço das ações subia toda vez que o fabricante fechava uma fábrica. Então, ele comprou ações da Berkshire Hathaway por US$ 7,50 porque “era um estoque estatisticamente barato e negócios terríveis.” Atualmente, as muitas empresas de Berkshire incluem roupas íntimas (Fruit of the Loom), seguros (GEICO), fast food (Dairy Queen) e aviação privada (NetJets). As ações da Berkshire são vendidas por mais de US$ 290 mil e Buffett é o quarto homem mais rico do mundo –no valor estimado de US$ 73 bilhões, apesar de ter doado mais de US$ 37 bilhões nos últimos 14 anos.

Repetir vídeo

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Mais de Forbes Brasil

image beaconimage beaconimage beacon