Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Auxílio Gás de R$ 110 começa a ser pago nesta terça-feira; veja o calendário de agosto

Logotipo do(a) Estadão Estadão 08/08/2022 Redação

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

O Auxílio Gás de agosto, de R$ 110, começa a ser pago nesta terça-feira, 9, para as famílias que têm direito ao subsídio. Com a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Kamikaze, que ampliou benefícios sociais durante o ano eleitoral, o Auxílio Gás teve o valor dobrado, se tornando equivalente a 100% do valor médio do botijão de 13 quilos nas parcelas de agosto, outubro e dezembro. Em 2023, o benefício voltará a valer metade do preço médio do botijão.

O valor recebido pode ser acumulado com outros benefícios, incluindo o próprio Auxílio Brasil. Recebimentos pelo vale-gás não serão computados como renda no Cadastro Único.

Cerca de 5,6 milhões de famílias receberão o Auxílio Gás em agosto, segundo a Caixa Econômica Federal. Tradicionalmente, o Auxílio Gás e o Auxílio Brasil são pagos nos últimos dez dias úteis do mês, sendo que o Auxílio Gás é bimestral, pago a cada dois meses. Seguindo essa lógica, a parcela de agosto seria paga entre os dias 18 e 31, mas ela foi antecipada.

Calendário de agosto do Auxílio Gás

O Auxílio Gás é pago a cada dois meses, mas segue o mesmo calendário do Auxílio Brasil, que foi antecipado em agosto. O calendário do Auxílio Gás do mês vai do dia 9 ao dia 22, e segue a ordem do dígito final do Número de Inscrição Social (NIS).

Em agosto, Auxílio Gás será de R$ 110; com PEC Kamikaze, valor do subsídio aumentou para 100% do valor médio do botijão de 13 quilos nas parcelas de agosto, outubro e dezembro. Foto: Wilton Junior/Estadão © Fornecido por Estadão Em agosto, Auxílio Gás será de R$ 110; com PEC Kamikaze, valor do subsídio aumentou para 100% do valor médio do botijão de 13 quilos nas parcelas de agosto, outubro e dezembro. Foto: Wilton Junior/Estadão

A validade da parcela do benefício do programa Auxílio Gás é de 120 dias, contados da data em que for disponibilizado o benefício na opção de pagamento. Se não for sacado nesse período, o valor retorna para as contas do governo. Veja abaixo o calendário de agosto do Auxílio Gás (mesmo do Auxílio Brasil).

Final do NIS / Data de pagamento

1: 9 de agosto

2: 10 de agosto

3: 11 de agosto

4: 12 de agosto

5: 15 de agosto

6: 16 de agosto

7: 17 de agosto

8: 18 de agosto

9: 19 de agosto

0: 22 de agosto

Como consultar e como receber?

O Auxílio Gás é pago com os mesmos cartões e as mesmas senhas do Auxílio Brasil, podendo ser sacado em lotéricas, terminais de autoatendimento e correspondentes bancários Caixa Aqui. O benefício também pode ser depositado nas contas poupança digitais, criadas para o pagamento do Auxílio Emergencial em 2020, e movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem.

Quem tiver dúvidas sobre a situação do benefício pode fazer uma consulta nos aplicativos Caixa Tem e Auxílio Brasil ou ligar para a central de atendimento da Caixa, no número 111. Caso tenha dúvidas sobre o cadastro ou sobre o pagamento, o cidadão pode ligar para o Ministério da Cidadania, no telefone 121.

Cálculo

Para calcular o benefício, a Caixa Econômica Federal baseia-se nas pesquisas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que até o décimo dia útil de cada mês divulga o preço médio dos seis meses anteriores do botijão de 13 quilos de gás liquefeito de petróleo (GLP). Dessa forma, a cada dois meses, o benefício muda de valor.

O Auxílio Gás totalizou R$ 52 em janeiro, R$ 51 em abril e R$ 53 em junho, quando equivalia a 50% do preço médio do botijão.

Duração

A duração prevista do programa é de cinco anos. Para este ano, o Auxílio Gás tinha orçamento de R$ 1,9 bilhão, mas a verba subiu para R$ 2,95 bilhões com a aprovação da PEC Kamikaze.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e tem pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica. / COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL

Mais de Estadão

image beaconimage beaconimage beacon