Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Abel revela pressão de jogadores para acerto com o Cruzeiro em 2019, contrariando versão dada por Itair

Logotipo do(a) Superesportes Superesportes 18/06/2020 Redação
Abel Braga foi um dos responsáveis pela queda do Cruzeiro © Ramon Lisboa / EM DA PRESS Abel Braga foi um dos responsáveis pela queda do Cruzeiro

No final de setembro do ano passado, o Cruzeiro anunciou a contratação do técnico Abel Braga. Naquela ocasião, o então vice de futebol, Itair Machado, disse que os atletas tomaram conhecimento do acerto apenas no dia do anúncio. Contudo, em entrevista ao canal Fox Sports, nessa quarta-feira, Abel revelou que só assinou com o clube celeste pela insistência de alguns jogadores do elenco, que trabalharam para a chegada dele com ligações e mensagens de celular.

"Vim para o Cruzeiro e tinha essa coisa do carinho, mas não queria. Mas os caras estavam me ligando. Os caras que foram campeões comigo. Eu fui campeão com eles. Recebi ligação de um, de outro. 'Meu time é isso, meu time é aquilo, não sei o que'. É um clube que vinha ganhando tudo e tinha um treinador quase completando três anos, excepcional treinador que é o Mano, que tinha uma maneira de jogar. Os caras fechavam o olho e entravam em campo daquela maneira. Era a filosofia, estratégia do Mano. Rogério tentou uma maneira, não conseguiu. E eu fui. Conseguimos vencer o Corinthians, fora de casa, tivemos empate com o Fluminense, com um gol mal anulado, tivemos vitória contra o São Paulo. Tivemos jogos interessantes", disse Abel.

Abel Braga assumiu o Cruzeiro no dia 27 de setembro. Ele chegou para a vaga de Rogério Ceni, que enfrentou problema de relacionamento com os jogadores mais experientes do elenco. Rogério ficou oito partidas no comando da Raposa. Abel também não durou muito tempo, com apenas 14 confrontos.

"Eu fui contratado pelo Itair. Assim que ele me contratou, uma semana depois ele saiu. Eu não tinha hábito de pegar clubes no meio e no final (do ano). Tinha sido difícil para o Rogério, ficou quatro, cinco jogos. Não pegaram a filosofia dele. Teve uma relação que não deu certo. Os caras me ligaram. Estou falando de jogadores. Tenho uma gratidão muito grande pelo Cruzeiro porque eu, com dois anos de contrato com o PSG, em 1981, com problema no joelho, queria voltar, porque senão teria que fazer outra cirurgia lá", frisou.

Dos jogadores experientes do elenco, Abel liderou trabalhos vitoriosos no Fluminense com o meia Thiago Neves e o centroavante Fred. Eles foram alguns dos atletas que insistiram na chegada do treinador.

Versão dada por Itair

Em entrevista coletiva no dia 27 de novembro do ano passado, Itair fez questão de dizer que os atletas não sabiam da negociação.

"Os jogadores ficaram sabendo da contratação do Abel somente agora. Achavam até que ia ser outro. No caso do anterior (Rogério Ceni), 11 atletas afirmaram que preferiam o Rogério. Não acho errado jogador opinar em nada do clube", disse o então dirigente.

Hoje, Itair Machado é investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público pela suposta prática de cinco crimes no comando do Cruzeiro: falsificação de documentos, falsidade ideológica, apropriação indébita, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Sem entender a queda

Abel Braga disse que não entendeu a queda do Cruzeiro. O treinador destacou que, segundo relato dos jogadores, o ambiente no clube era muito bom, assim como as condições de trabalho. Depois da saída de Abel, Adilson Batista ainda assumiu o time, mas não conseguiu livrar a Raposa da queda. 

"Em uma semana, Itair saiu e entrou o Perrella. O problema é o seguinte: tudo que foi me dito pelos atletas é assim. Ambiente? Excepcional. Comissão técnica? Excepcional. Condição de trabalho? Excepcional. O grupo em momento nenhum colocou o problema financeiro como uma causa, motivo. Ambiente muito bom. Não dava para entender. Falava para os caras: estamos numa situação crítica, vocês têm uma maneira de jogar. Nós temos que sair, nós temos que criar, nós temos que marcar. E assim fizemos em praticamente todos os jogos. Também não consegui, Rogério não conseguiu. Depois veio o Adilson mais um pedacinho e também não conseguiu".


Assuntos do momento: Chico Lang: "Jô chegou e não saravo no Corinthians" (Gazeta Esportiva)

A SEGUIR
A SEGUIR

Mais de Superesportes.

image beaconimage beaconimage beacon