Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Palmeiras x Corinthians no STJD: marcado julgamento que pode impugnar final do Paulista

Logotipo do(a) ESPNESPN 4 dias atrás ESPN.com.br
Willian, do Palmeiras, tenta chute durante a final do Paulistão contra o Corinthians © Ag Palmeiras Willian, do Palmeiras, tenta chute durante a final do Paulistão contra o Corinthians

O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) marcou para o dia 16 de agosto (próxima quinta-feira), às 11h, o julgamento do pedido de impugnação da final do Campeonato Paulista 2018 feito pelo Palmeiras - o Corinthians sagrou-se campeão do torneio nos pênaltis após vencer por 1 a 0 no tempo normal.

O pedido havia sido feito pela equipe alviverde no dia 19 de julho. Os palestrinos alegam que houve interferência externa na decisão da arbitragem em anular um pênalti inicialmente marcado de Ralf em cima de Dudu, no segundo tempo da partida no Allianz Parque.

O Verdão quer que o STJD processe e julgue o caso até o final, já que o TJD-SP (Tribunal de Justiça Desportiva do Estado de São Paulo) julgou a questão improcedente no dia 11 de junho e encerrou as ações em 1ª instância.

Na ocasião, o Pleno do TJD-SP acatou a decisão de Antônio Olim, presidente do Tribunal, que encerrou o caso no dia 4 de maio alegando que o prazo da solicitação havia sido prescrito em 10 de abril (48h após o jogo), e que o clube, segundo o Tribunal, só deu entrada em 25 de abril.

O entendimento no Palmeiras, entretanto, é de que este prazo foi “congelado” ao solicitar a instauração de inquérito em 10 de abril (dois dias após a decisão) e que ele voltou a valer após o anúncio do arquivamento da investigação (23 de abril). Teria, assim, feito o trâmite da forma correta.

Recentemente, o clube alviverde ainda foi à delegacia e pediu a instauração de um inquérito para apurar falso testemunho da equipe de arbitragem nos depoimentos dados ao TJD-SP.

O caso foi registrado no 23º Distrito Policial de São Paulo, e agora caberá à polícia investigar os depoimentos supostamente contraditórios.

Mais de ESPN

image beaconimage beaconimage beacon