Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Cyborg tem luta dura, mas bate Holm e defende cinturão no UFC 219

Logotipo do(a) Super Lutas Super Lutas 31/12/2017 João Vitor Xavier

© Fornecido por Carlos Eduardo de Oliveira Santos (SUPERLUTAS)

O UFC 219 serviu para que a campeã Cris Cyborg respondesse diversas perguntas sobre seu domínio no peso pena. Enfrentando Holly Holm, uma lutadora de nível mundial, a brasileira mostrou sua técnica e o poder de suas mãos para conquistar a vitória por decisão e passar pelo maior desafio de sua carreira.

Khabib domina e Barboza fica no quase de novo no UFC 219

Matheus Nicolau volta com grande vitória sobre Smolka no UFC 219

Miocic e Ngannou têm encarada tensa antes do UFC 220

Usando seu jogo de pressão, mas com muita paciência para não se submeter aos contra-ataques mortais da norte-americana, Cris mostrou toda sua técnica, variando ataques e brilhando com seu muay thai forjado a ferro e fogo na lendária Chute Boxe. À desafiante restou a honra de chegar na decisão com a mulher mais dominante da história do MMA.

Após a luta, Cyborg pediu para lutar na Austrália e nomeou sua próxima desafiante: Megan Anderson, australiana que a sucedeu como campeã peso pena do Invicta e uma das lutadoras mais fortes em atividade na categoria.

"Eu quero agradecer à Holly Holm por ter vindo lutar comigo, ela mostrou hoje que é uma grande lutadora. Agradeço a Deus, pois Ele está sempre em primeiro lugar. Aos meus fãs, eu pude mostrar um pouco mais da Cyborg, obrigado. E eu quero lutar na Austrália, com uma verdadeira peso pena, e a Megan Anderson é essa pessoa. Mas tudo depende do UFC. Luto contra quem o Dana White quiser", declarou a brasileira.

A LUTA

O primeiro round começou com uma surpresa para Cyborg: Holm se movimentava muito bem e conectava com diretos de esquerda que incomodavam a campeã. A brasileira teve problemas para lidar com o jogo de pernas da adversária, mas já no fim do round mostrou ter decifrado o jogo de Holly e encontrou o queixo da norte-americana. No segundo assalto, Cris começou a dominar, soltando golpes cada vez mais duros e colocando a ex-campeã dos galos em apuros.

Mas foi no terceiro assalto que o duelo pendeu decisivamente para o lado do Brasil. Cyborg começou a ler bem os chutes que Holm soltava e conseguiu fechar o olho da norte-americana, que começava a ficar vulnerável aos contra-ataques com a mão pesada da campeã. No fim do round, Holly foi salva pelo gongo após sequência brutal de Cris.

O quarto e o quinto rounds foram parecidos. Cyborg pressionava, andava para frente variando seus golpes, entre chutes baixos e altos e ganchos e diretos, enquanto Holm seguia buscando conectar com seu direto de esquerda e o chute alto - àquela altura já decifrados pela campeã. No fim, mais uma pressão de Cris, que não conseguiu finalizar o combate, mas saiu gigante do octógono.

Resultados do UFC 219

Card principal

Peso pena: Cris Cyborg derrotou Holly Holm por decisão unânime (49-46, 48-47, 48-47)

Peso leve: Khabib Nurmagomedov derrotou Edson Barboza por decisão unânime (30-25, 30-25, 30-24)

Peso leve: Dan Hooker derrotou Marc Diakese por finalização (guilhotina) aos 42s do R3

Peso palha: Carla Esparza derrotou Cynthia Calvillo por decisão unânime (3x 29-28)

Peso meio-médio: Neil Magny derrotou Carlos Condit por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)

Card preliminar

Peso meio-pesado: Michal Oleksiejczuk derrotou Khalil Rountree Jr. por decisão unânime (3x 30-27)

Peso pena: Myles Jury derrotou Rick Glenn por decisão unânime (3x 30-27)

Peso médio: Marvin Vettori e Omari Akhmedov têm empate majoritário (28-28, 29-28 Vettori, 28-28)

Peso mosca: Matheus Nicolau derrotou Louis Smolka por decisão unânime (30-26, 30-26, 30-25)

Peso galo: Tim Elliott derrotou Mark De La Rosa por finalização (triângulo de mão) a 1m41s do R2

UFC no Bing:
Calendário, Resultados e Palpites



Mais de Super Lutas

image beaconimage beaconimage beacon