Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

O poder libertador de um Não!

Logotipo do(a) Superela Superela 12/07/2018 Isadora Bacelar
O poder libertador de um Não! © Reprodução O poder libertador de um Não!

Para que se cobrar tanto se, às vezes, até o sol brilha meio desanimado? Você não precisa estar bem e brilhante todos os dias e tudo bem. Todo mundo tem feridas, todo mundo sente dor, você também tem esse direito. Se quiser ficar triste, fique. Se quiser chorar, chore. Se quiser ficar sozinha, fique. Não há nada de mal nisso. Você não está errada.

Porque você precisa ter esse equilíbrio emocional todo, menina?

Todo mundo coloca como meta ter esse tal de “equilíbrio emocional”, mas… se cobrar não pode estar na sua lista! Não se culpe, esse é o meu lema atual. Ninguém nunca saberá a dor do outro e nem a sua. Seja gentil com todos, pelo mesmo motivo. Não se culpe se hoje você não pode ser o ombro amigo, se hoje você não pode rir de uma piada sem graça, se hoje você não pode ajudar com alguma tarefa extra.

Todo mundo espera tanto de você, né? Mas você não precisa se doar tanto, acredite, você não é menos amiga, menos filha, menos mãe ou menos mulher por isso. Você simplesmente está sendo gentil com você. Você tem noção do que é o poder do não? Vou te contar como esse poder é imenso e nós temos ele em nossas mãos.

Se por exemplo, você fosse convidada para uma festa de uma amiga mas nesse mesmo dia você estiver muito desanimada, por qualquer motivo. Ou se alguém te pedir para ficar mais umas horas no trabalho, coisa que é bem habitual para você, mas nesse mesmo dia, você estiver com um mal humor daqueles e só quiser sua cama e seu quarto. O que você faria? Geralmente a gente dirá SIM, né? Pelo simples fato de pensar mais no “problema” dos outros.

“Não posso deixar de comemorar com minha amiga, ela não entenderia.”

“Não posso dizer não a minha chefe hoje, ela pode ficar brava, mesmo eu sendo uma funcionária exemplar”

Você está sendo gentil com os outros, certo? Você acabará indo para a festa de sua amiga, mesmo desanimada, e não irá curtir nada, talvez volte bem pior. Você ficará mais algumas horas no trabalho, e talvez seu rendimento não seja o mesmo ou você não terá o mesmo prazer em fazer o trabalho que você gosta.

E se você experimentasse usar o poder do NÃO?

Se você ligasse para sua amiga e explicasse que você adoraria ir na comemoração, mas que não está se sentindo muito bem e que talvez não seja bom para você ir, mas que adoraria vê-la no final de semana, talvez uma praia ou um rodízio japa. E se você falasse para sua chefe que não está se sentindo bem aquele dia, que sabe que o prazo está curto para a entrega do projeto, que poderia chegar mais cedo para adiantar e não perder a data, mas que naquele dia precisava ir para casa.

Você estaria sendo gentil com VOCÊ. E quer saber? Garanto que não seria o fim do mundo para ninguém. O problema é que você se cobra muito, você quer sempre dar um jeito que atender à todos, mas esquece de você. Mas lembre-se: até o sol brilha meio desanimado… Não é todo dia que ele está radiante, tem dias que ele nem aparece pra gente. Até ele fica meio cansado, né? O que eu quero te dizer nesse texto é que não existe problema nenhum em você não estar bem.

Pense mais em você.

Vou pedir para você faça um exercício rápido, não precisa ser agora, mas é super importante para você analisar o quanto está deixando de lado o seu bem estar. Faça uma lista das sua tarefas do dia a dia. Sim, desde quando você acorda até a hora de dormir, tudo que você precisa fazer. Essa lista não precisa ficar pronta na alguns minutos, você pode acrescentar tarefas conforme for lembrando, por isso é legal que anote em algum lugar que tenha fácil acesso.

Quando você achar que ela estiver completa, marque com um asterisco as tarefas que ninguém pode fazer por você, aquelas que somente você pode fazer. Você vai notar que sobrará algumas outras que pode pedir para alguém fazer por você, que você pode compartilhar. Dessas marcadas, perceba quais são para o seu próprio bem, para o seu benefício, algo que te faça realmente feliz, que te motive, que te faça sorrir.

Se no final desse exercício você não tiver pelo menos duas ou três tarefas que te façam sorrir, que te tragam benefício próprio, você precisa rever sua lista e mudar já! E outra: não esqueça que as tarefas que você não marcou com asterisco, são possíveis de serem compartilhadas com alguém! Você não precisa fazê-las sozinhas, que tal tirar essa sobrecarga e usar o poder do NÃO? Usar esse tempinho de sobra e fazer algo de bom para você? Ler um livro, tomar um banho demorado, passear na praia, andar de bicicleta, sair com aquela amiga que você não encontra há meses… Vamos começar hoje?

Imagem: Shutterstock

O texto O poder libertador de um Não! foi publicado originalmente em Superela.

Mais de Superela

image beaconimage beaconimage beacon