Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Software gratuito ajuda manejo florestal sustentável

Logotipo do(a) Forbes Brasil Forbes Brasil 05/06/2018 Redação
iStock © Fornecido por Forbes Brasil iStock

Embrapa cria software de apoio à elaboração e execução de planos de manejo florestal sustentável na Amazônia

Planejar a extração madeireira e, ao mesmo tempo, garantir a conservação e a plena recuperação da floresta é o maior desafio do manejo florestal sustentável na Amazônia. Para apoiar essa missão, a Embrapa criou o software BOManejo, uma ferramenta de apoio à elaboração e execução de planos de manejo que será oficialmente apresentada hoje (5), na seda da Embrapa Amazônia Oriental, em Belém (PA).

LEIA MAIS: Brasileiros investem em pesquisa sobre internet das coisas para irrigação inteligente

A ferramenta é gratuita (disponível em https://www.embrapa.br/bom-manejo) e direcionada a técnicos de empreendimentos florestais, comunidades e, futuramente, a técnicos de órgãos de fiscalização. O chefe-geral da Embrapa Amazônia Oriental, Adriano Venturieri, ressalta que o software é um exemplo de como a pesquisa gera produtos que atendem ao setor produtivo e ao governo. “Seu uso contribui para que a atividade madeireira na Amazônia tenha cada vez mais planejamento e controle, causando o mínimo impacto à floresta”, completa.

Segundo o pesquisador José Francisco Pereira, da Embrapa Amapá, as vantagens do uso do software são inúmeras. Para o segmento madeireiro, por exemplo, ela apoia a elaboração do Plano Operacional Anual, desde o planejamento da colheita florestal, os dados no inventário, a seleção e indicação da quantidade de árvores a serem extraídas até o monitoramento do corte. Já para os técnicos de órgãos de controle e fiscalização será lançado, em breve, um módulo específico, que irá ajudar na avaliação dos planos operacionais, uma vez que deve padronizar os projetos de manejo, evitando diferenças nas avaliações.

Para o chefe-geral da Embrapa Amapá, Nagib Jorge Melém Júnior, o controle dos dados da extração madeireira permite a redução do tempo e uma maior eficiência na execução do manejo. “Nossa intenção é contribuir para que o setor madeireiro possa ser cada vez mais fortalecido de maneira que a gente consiga ter uma produção madeireira e, ao mesmo tempo, possa preservar a floresta para as gerações futuras”, destaca o dirigente.

CONSERVAÇÃO

O software é resultado da primeira fase do projeto Bom Manejo, desenvolvido pela Embrapa e financiado pelo ITTO (Organização Internacional de Madeira Tropical), cujo objetivo é aplicar boas práticas de utilização e conservação das florestas. Para isso, o projeto desenvolveu, em sua primeira fase, ferramentas computacionais que auxiliam técnicos e produtores no planejamento do manejo e monitoramento da floresta. “Um manejo bem feito pressupõe retirar a madeira e promover condições para que as populações de árvores continuem em um processo de crescimento, de forma que, em um ciclo de 35 anos, seja possível uma nova retirada”, explica o pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Milton Kanashiro, e coordenador da iniciativa.

VEJA TAMBÉM: Google inclui povos da Amazônia em renovação do Google Earth

O especialista diz que o monitoramento da floresta amazônica tem avançado bastante em vários segmentos. Atualmente, técnicas de sensoriamento remoto e radares conferem precisão ao volume a ser explorado em uma área de floresta, por exemplo. “Mas é preciso ainda avançar na questão dos planos de manejo e na difusão das tecnologias disponíveis pela pesquisa”, continua.

TECNOLOGIAS

Ronaldo Rosa/ Divulgação © Fornecido por Forbes Brasil Ronaldo Rosa/ Divulgação

A segunda fase compreende a capacitação de técnicos do setor madeireiro

O projeto Bom Manejo desenvolveu quatro ferramentas computacionais para controle e execução dos Planos de Manejo Florestal Sustentável, que estão disponíveis no portal da Embrapa. Além do software BOManejo, o projeto desenvolveu também o MFT, de monitoramento das florestas tropicais, o MEOF, de monitoramento econômico das operações florestais, e o MOP, de monitoramento da performance das operações florestais.

A segunda fase compreende a capacitação de técnicos do setor madeireiro, de órgãos governamentais de fiscalização e de professores da área florestal para o uso e melhoria dessas ferramentas.

O Bom Manejo é executado pela Embrapa Amazônia Oriental e Embrapa Amapá e conta com a parceria da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Instituto Florestal Tropical (IFT), Serviço Florestal Brasileiro e Fidesa.

Mais de Forbes Brasil

image beaconimage beaconimage beacon