Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Ômicron é variante que sobrevive por mais tempo na pele e em plásticos

Logotipo do(a) IstoÉ Dinheiro IstoÉ Dinheiro 24/01/2022 Da redação
Ômicron sobrevive até oito dias em superfícies plásticas Pexels © Pexels Ômicron sobrevive até oito dias em superfícies plásticas Pexels

Um estudo científico ainda sem revisão pelos pares, publicado por pesquisadores da Universidade de Medicina de Kyoto, no Japão, indica que a variante Ômicron tem mais capacidade de sobreviver em superfícies do que as cepas anteriores do coronavírus.

A mais recente variante do vírus que causa a Covid-19 resiste 21 horas sobre a pele humana e até 193 horas (oito dias) em superfícies plásticas. A pesquisa, porém, não conseguiu determinar a capacidade de infecção em seres humanos enquanto ainda permanecia vivo nas superfícies de poliestireno (plástico) e na pele humana.

+ Nos EUA, agroindústria e varejo perdem força de trabalho com avanço da Ômicron

+ Com ômicron, Europa pode vislumbrar fim da pandemia

Na superfície plástica, a alfa sobrevive 191,3 horas, enquanto a beta dura 156,6 horas, a Delta 114 horas e a Gama 59,3 horas. A cepa originária de Wuhan sobreviveu apenas 56 horas.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, declarou que, apesar da enorme capacidade de contágio da Ômicron, é possível “acabar com a fase aguda da pandemia este ano e dar fim à Covid-19 como emergência sanitária”.

Contudo, Ghebreyesus alertou que a Ômicron não deve ser a última variante a assolar o mundo.

Mais de IstoÉ Dinheiro

image beaconimage beaconimage beacon