Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Após prisão de Jefferson, Malafaia pede impeachment de ministros do STF e TSE

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 13/08/2021 Poder360
Silas Malafaia gravou vídeo com críticas a ministros do STF, TSE e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) © Reprodução/Twitter Silas Malafaia gravou vídeo com críticas a ministros do STF, TSE e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)

Após o ex-deputado federal e presidente do PTB Roberto Jefferson ser preso, o empresário e pastor Silas Malafaia publicou vídeo nesta 6ª feira (13.ago.2021), em seu perfil no Twitter, no qual pede o impeachment de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

“Prenderam o ex-deputado Roberto Jefferson por suas opiniões. Xinga presidente, deseja a morte de presidente, fala mal de todo mundo e é ato democrático. Se falar contra o STF é ato antidemocrático. Rasgaram o artigo 5º da Constituição. Aonde vamos parar? O povo é o supremo poder. Eles [ministros do STF] estão fazendo algo que não têm competência. Rasgando a Constituição”, diz Malafaia.

Roberto Jefferson foi preso na manhã desta 6ª feira (13.ago) no Rio de Janeiro. A ordem de prisão preventiva partiu do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal). A decisão atendeu a um pedido da Polícia Federal por suposta participação do político em uma organização criminosa digital responsável por atacar os ministros da Corte e as instituições. Eis a íntegra (56 KB).

No vídeo, Malafaia cita nominalmente os ministros Alexandre de Moraes e Luís Roberto Barroso e pede o impeachment dos “7 ministros do TSE”. Barroso preside a Corte Eleitoral e Moraes integra o grupo de ministros e assumirá a presidência do TSE em 2022.

“Tem que dar um impeachment no senhor Barroso, no senhor Alexandre de Moraes, nos 7 ministros do TSE. Essas é que é a verdade”, afirmou.

O pastor ainda critica e chama de “covarde” o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), por não pautar o impeachment de Alexandre de Moraes na Casa. O pedido foi entregue a Pacheco no fim de março e tem quase 3 milhões de assinaturas. Foi apresentado pelos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Styvenson Valentim (Podemos-RN) durante audiência de uma hora com Pacheco.

“O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, sentou em cima, esse covarde, de 3 milhões de assinaturas pedindo o impeachment desse ditador Alexandre de Moraes. Aonde o Brasil vai parar? Querem transformar o Brasil em uma Argentina ou Venezuela? Não. Em nome de Jesus, não. Essa gente vai cair. Deus nos Livre dessa gente má”, disse Malafaia.

O pastor também afirmou que o fato de o ministro Alexandre de Moraes ter aceito, na 4ª feira (4.ago.2021), uma notícia-crime do TSE para incluir o presidente Jair Bolsonaro no inquérito das fake news, representou uma “ruptura institucional”.

“O momento é gravíssimo. O ditador maior da toga, Alexandre de Moraes acaba de decretar a ruptura institucional no Brasil ao aCeitar o pedido de investigação de Bolsonaro do TSE”, disse.

“O presidente não pode ser investigado por eles. Eles não tem autoridade constitucional”, afirmou.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon