Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Coronavírus: empresário mineiro cede lojas virtuais para negócios na crise

Logotipo do(a) EM.com.br EM.com.br 13/04/2020 Ana Mendonça*

© Reprodução / MF Press Global Em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, o empresário mineiro Lucas Leite resolveu oferecer gratuitamente lojas virtuais para negócios afetados pelo isolamento social. O empreendedor e especialista digital é dono da empresa Vende Muito Brasil, que já realizava esse tipo de serviço para mais de 100 clientes no Brasil, Estados Unidos e Portugal. A atitude veio junto a um olhar que prevê um “novo mercado”.

Devido às medidas de quarentena impostas pelo Ministério da Saúde e alguns governadores e prefeitos, comerciantes tiveram queda bruta nas vendas. Boa parte foi impossibilitada de abrir suas lojas ou enfrentou medidas restritivas. Como a quarentena, o Banco Central já projeta crescimento zero para o PIB deste ano no país, enquanto o mercado financeiro prevê resultado negativo: - 1,96%. Nos Estados Unidos já são mais de 10 milhões de desempregados devido ao fechamento do comércio. Na Grande BH, setores como restaurantes e hotelaria já teriam feito em torno de 10 mil demissões. 

Em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, o empresário mineiro Lucas Leite resolveu oferecer gratuitamente lojas virtuais para negócios afetados pelo isolamento social © Reprodução / MF Press Global Em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus, o empresário mineiro Lucas Leite resolveu oferecer gratuitamente lojas virtuais para negócios afetados pelo isolamento social Em conversa com o Estado de Minas, Lucas Leite sustenta que o novo mercado está nas vendas on-line. Apesar do cenário alarmante, ele enxerga que essa é a oportunidade para as pessoas digitalizarem seus negócios. “O mercado diminuiu, não parou. Levar esse serviço gratuito para essas pessoas ajuda a projetar um futuro para a venda on-line. As pessoas no exterior já têm o costume de comprar a maioria das coisas pela internet. Acredito que depois dessa quarentena o mesmo aconteça no Brasil”, aposta.

O empresário prevê que, se as pessoas não tiverem capacidade se adaptar a essa fase difícil, a crise será ainda maior. “Se as empresas não conseguirem se adequar ao momento, promovendo uma presença no digital maior e expandindo suas fronteiras para fazer negócios on-line, então certamente a crise será ainda mais difícil do que se supunha. As pessoas estão em casa e continuam precisando dos mesmos produtos e serviços. Contudo, não podem ir até o estabelecimento. Logo, o digital é a forma de trazer o seu negócio para os clientes”, sugere.

A Vende Muito Brasil é uma  empresa especializada em e-commerce e marketing de influência. Pelo serviço, agora disponibilizado gratuitamente, se cobrava em torno de R$ 2 mil. “Desafiei a minha equipe a abraçar comigo a ideia de criarmos lojas virtuais para empresas que querem se inserir no mundo digital de maneira totalmente gratuita, sem cobrar os nossos custos de programação e criação da loja. Nós, como forma de estender uma mão amiga às empresas, iremos abdicar do valor da nossa mão de obra. Assim, o usuário irá apenas cobrir os custos mensais da plataforma e do hosting”, conta Lucas. Taxa de hospedagem custaria de R$ 19 a R$ 40 anuais. Já no caso da plataforma, poderia variar entre R$ 9 e R$ 60 por ano.

Já foram cerca de 10 websites criados gratuitamente desde o início do projeto. Projetos como um “sacolão on-line” e venda de máscaras caseiras estão na lista do empresário.

Como Participar

Para ter uma loja on-line criada pelo projeto é preciso entrar em contato pelo telefone: (31) 9273-0456 ou pelo Instagram (@lucasleite.mktdigital). *Estagiária sob supervisão do subeditor Eduardo Murta 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Especial: Tudo sobre o coronavírus 

Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra

Os boatos sobre o coronavírus: fique por dentro do que é verdade e mentira

Tudo sobre o coronavírus - Covid-19: da origem à chegada ao BrasilCoronavírus: qual é a diferença entre isolamento e quarentena? 

Mais de EM.com.br

image beaconimage beaconimage beacon