Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Correios vão fechar 41 agências em 15 Estados a partir de hoje

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 16/10/2018 Redação
ECT-EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELEGRAFOS 1: Segundo a empresa, os funcionários das agências fechadas serão transferidos para outros locais de trabalh © Folhapress Segundo a empresa, os funcionários das agências fechadas serão transferidos para outros locais de trabalh

Os Correios dão início nesta terça-feira ao processo de fechamento de 41 agências localizadas em 15 estados. Segundo a empresa, as agências fechadas ocupam prédios alugados, são deficitárias e estão localizadas a menos de dois quilômetros de distância de outros pontos de atendimento.

A companhia informa que o fechamento das agências faz parte do processo de remodelagem da rede de atendimento dos Correios, que prevê a substituição de unidades convencionais por soluções mais adequadas às necessidades dos clientes.

O processo de remodelagem prevê a ampliação dos pontos de atendimento, dos atuais 12 mil para 15 mil até 2021. Hoje, os Correios contam com 6.000 agências próprias em todo o país.

Segundo a empresa, os funcionários das agências fechadas serão transferidos para outros locais de trabalho.

Em maio, o presidente interino dos Correios, Carlos Fortner, defendeu o fechamento das agências deficitárias. O plano inicial era fechar até 513 agências, número que mais tarde foi negado. “Eu tenho agências que estão espalhadas a 50 metros umas das outras. Não é cabível numa empresa que quer ser modernizada, que quer se atualizar, que quer estar saudável ter uma agência a 50 metros da outra, gastando com dois imóveis, e assim por diante. A partir da lista, que ainda está sendo validada, vou avaliar caso a caso”, disse à época

Os Correios encerraram 2017 com um lucro líquido de 667 milhões de reais. Foi o primeiro resultado positivo desde 2013 – o déficit chegou a 2,12 bilhões de reais em 2015 e de 1,48 bilhões de reais em 2016.

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon