Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Preso, Roberto Jefferson vai para Bangu 8, onde está Cabral e Dr. Jairinho

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 13/08/2021 Paulo Roberto Netto
Ex-deputado Roberto Jefferson em foto publicada nas redes sociais segurando arma; após prisão, será levado para a mesma ala onde estão Sérgio Cabral e Dr. Jairinho © Reprodução / Twitter Ex-deputado Roberto Jefferson em foto publicada nas redes sociais segurando arma; após prisão, será levado para a mesma ala onde estão Sérgio Cabral e Dr. Jairinho

Preso na manhã desta 6ª feira (13.ago.2021), o ex-deputado federal e presidente do PTB Roberto Jefferson será levado ao presídio Bangu 8, no complexo de Gericinó, na zona oeste do Rio de Janeiro. O ex-congressista foi detido por ordem do ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), por suspeita de integrar milícia digital que promove ataques contra a democracia.

O ex-congressista passou por exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico-Legal) fluminense, foi levado à Superintendência da PF (Polícia Federal) na capital e, de lá, seguirá para o Bangu 8.

No mesmo presídio está hoje o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, condenado a 392 anos de prisão na Operação Lava Jato, e o ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o “Dr. Jairinho”, preso em abril por suspeita de matar o menino Henry Borel, de 4 anos, filho de sua namorada, Monique Medeiros.

Tanto Cabral quanto Jairinho estão na ala reservada a presos com ensino superior – a mesma para onde deverá ir Roberto Jefferson.

Jefferson foi preso nesta 6ª feira (13.ago) no inquérito que mira a atuação de milícias digitais antidemocráticas. Além da prisão preventiva, Moraes determinou buscas e apreensões e o bloqueio de todos os perfis nas redes sociais do ex-deputado.

Em decisão, o ministro listou diversos ataques de Roberto Jefferson a ministros do STF e a críticos do governo Jair Bolsonaro. Isso inclui um tweet em que chamou o embaixador da China, Yang Wanming, de “macaco” e comparou a população LGBT a drogados.

O representado pleiteou o fechamento do Supremo Tribunal Federal, a cassação imediata de todos os Ministros para acabar com a independência do Poder Judiciário, incitando a violência física contra os Ministros, porque não concorda com os seus posicionamentos”, escreveu Moraes. “A reiteração dessas condutas, por parte de Roberto Jefferson Monteiro Francisco, revela-se gravíssima, pois atentaria ao Estado Democrático de Direito e às suas Instituições republicanas”.

A defesa de Roberto Jefferson afirmou que entrará com um habeas corpus no STF solicitando que o ex-deputado federal fique preso em regime domiciliar. “Ele [Jefferson] está fazendo acompanhamento médico por conta de uma inflamação aguda no fígado”, disse ao Poder360 o advogado Luiz Gustavo Pereira da Cunha, que defende o político.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon