Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Jornais europeus veem governo Temer na corda bamba com greve dos caminhoneiros

Logotipo do(a) RFI RFI 29/05/2018
Fotomontagem RFI © Fournis par France Médias Monde Fotomontagem RFI

A greve dos caminhoneiros entra nesta terça-feira (29) no nono dia e continua ganhando destaque na imprensa francesa e europeia.

A descrição do caos instalado no Brasil é detalhada: bloqueios nas estradas, redução dos serviços de transporte público nas grandes cidades, abate de 70 milhões de frangos devido à falta de alimento no maior exportador de aves do mundo, prateleiras ficando vazias em farmácias e supermercados. O Financial Times explica o movimento por meio do motorista Francisco Antônio Rodrigues. Ele afirma que a intenção dos caminhoneiros é "acabar com o Congresso Nacional” e provocar uma intervenção militar "para eliminar o bando de ladrões que estão lá".

Para o Financial Times, a paralisação está sendo um teste para a maior economia da América Latina, que ainda luta para sair da pior recessão de sua história. O crescimento econômico no segundo trimestre do ano já foi comprometido, e as eleições de outubro estão se tornando as mais imprevisíveis dos últimos anos, conclui o diário.

Ainda na Inglaterra, o The Guardian diz que os caminhoneiros rejeitaram as concessões de Temer por estarem conscientes de que, dentro de 60 dias, quando acabar o congelamento do diesel, os preços vão aumentar ainda mais. O Guardian minimiza o risco de retorno dos militares ao poder, "assunto espinhoso no país que enfrentou 21 anos de ditadura de direita", considerando que esta posição é minoritária no movimento. Em meio às consequências políticas da greve, a popularidade de Temer despencou ainda mais, destaca The Guardian.

Cresce aposta na queda do governo

O francês Le Monde traz depoimentos de alguns grevistas que consideram a paralisação "não como uma guerra dos caminhoneiros, e sim de todo o povo brasileiro contra a corrupção e por melhorias nos serviços de saúde, educação e segurança pública". O jornal cita o apoio do vendedor de eletrodomésticos Tango Roxa, de 45 anos, que acredita na queda do governo se houver adesão de outras categorias. A vulnerabilidade de Temer, um presidente desgastado, hesitante e alvo de denúncias de corrupção, reforça o discurso de uma ala de grevistas que aposta na queda do governo, explica o jornal Le Monde.

O espanhol El País considera que Temer "bem que tentou aplacar a revolta dos caminhoneiros com importantes concessões, mas eles dobraram a aposta, ganham adeptos e amplificam os pedidos por intervenção militar”. "Grevistas estacionados na rodovia Régis Bittencourt, um dos mais de 500 pontos pelo país ainda mobilizados, não aceitaram a proposta do governo e pedem que o litro do diesel valha 2,50 reais e que esse valor fique congelado por um ano", explica El País.

Na Bélgica, o jornal Le Soir evoca as consequências da greve para as ações da Petrobras. Os papéis da companhia perderam mais de 14% no fechamento dos mercados na segunda-feira (28).

Vídeo: Apoio popular dá força para greve dos caminhoneiros (Via Dailymotion)

Repetir vídeo


Siga o MSN no Facebook

MAIS DE RFI

image beaconimage beaconimage beacon