Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

10 motivos pelos quais é necessário pensar em adiar o Enem 2020

Logotipo do(a) Catraca Livre Catraca Livre 14/05/2020
Governo do DF suspende aulas para evitar ampliação de casos do novo corona vírus. © Marcelo Camargo/Agência Brasil Governo do DF suspende aulas para evitar ampliação de casos do novo corona vírus.

Em meio à pandemia do novo coronavírus e mobilização que pede o adiamento do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020, o cronograma estabelecido pelo MEC (Ministério da Educação) não teve nenhuma alteração.

Entidades estudantis, conselhos educacionais, políticos e personalidades pedem que o edital seja adiado. Nós, da Catraca Livre, repercutimos os motivos pelos quais é necessário pensar em adiar o Enem este ano.

1. O mundo está enfrentando uma pandemia e o Brasil é o 6º país com mais casos da covid-19 até o momento, segundo dados da Universidade Johns Hopkins (EUA). Acompanhe esses números em tempo real por meio deste mapa.

2. Com as escolas fechadas por conta do isolamento social, o ensino a distância não contempla todos os alunos, principalmente aqueles que vivem realidades mais pobres. A preparação para o exame se torna desigual e excludente.

3. Um em cada quatro pessoas no Brasil não tem acesso à internet, ou seja, cerca de 46 milhões de brasileiros não acessam a rede. Os dados, de 2018, foram divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em abril.

4. Segundo a mesma pesquisa, em áreas rurais o índice de pessoas sem acesso à internet é ainda maior que nas cidades, chega a 53,5%.

5. A falta de internet não é o único problema. Muitos estudantes da rede pública não dispõem dos materiais didáticos necessários para um bom aprendizado fora do ambiente escolar.

6. Na contramão do mundo, o governo brasileiro mantém o cronograma do Enem. O maior vestibular chinês, conhecido como gaokao, foi adiado por conta da pandemia do novo coronavírus. Outros países, como França e EUA, fizeram o mesmo com seus principais vestibulares.

7. Segundo Camilo Mussi, presidente substituto do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), não há plano de contingência para a realização do Enem caso a pandemia se prolongue até novembro, mês em que estão marcadas as provas presenciais. A declaração foi feira em entrevista à Folha.

8. Os transtornos de ansiedade e depressão têm crescido durante a quarentena. A saúde mental neste momento também é importante e muitos jovens não têm acesso a psicólogos ou terapeutas.

9. E não podemos esquecer que estamos lidando com mortes diárias. Quantos alunos não perderam algum familiar vítima de coronavírus? Como estudar em condição de luto?

10. O Enem é instrumento de democratização do acesso ao ensino superior. Exigir uma preparação adequada em meio ao cenário atual é injusto e exclui ainda mais alunos negros e pobres das universidades.

Inscrições devem ser feitas até o dia 22

Apesar de todos os esforços para que o exame seja adiado, é importante que os candidatos façam a inscrição, que vai até o dia 22 de maio por meio da página do Enem na internet.

A taxa de inscrição custa R$ 85 e deve ser paga entre 11 e 28 de maio, em agências bancárias, casas lotéricas e correios. O Enem 2020 presencial será aplicado em 1º e 8 de novembro. Os participantes que optarem por realizar a versão digital do exame farão as provas nos dias 22 e 29 de novembro.

De acordo com o Inep, a estrutura do exame será mantida, com a aplicação de quatro provas objetivas, constituídas por 45 questões cada, e uma redação em língua portuguesa. Durante o processo de inscrição, o participante deverá selecionar uma opção de língua estrangeira — inglês ou espanhol.

Os estudantes que obtiveram a isenção da taxa também devem se inscrever no Enem. Os candidatos que não pediram isenção, mas se encaixam em um dos critérios para receber o benefício, terão direito mesmo sem a solicitação.

O cartão de confirmação da inscrição será disponibilizado em outubro, ainda sem um dia definido. Este cartão traz um resumo das principais informações para o candidato: número de inscrição; data, hora e local das provas; dados sobre atendimento especializado (se solicitado); e opção de língua estrangeira.

Twittaço #AdiaEnem

A União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) se mobilizam para pedir a suspensão do edital. Um novo protesto virtual, com a hashtag #AdiaEnem, está marcado para esta sexta-feira, 15. Haverá twittaço, debates e conteúdos online.

“#AdiaEnem é o apelo de cada estudante, jovem ou adulto que entende a importância dessa prova como a maior porta de entrada para o ensino superior no Brasil. #AdiaEnem é por todas as famílias que ainda sentem na pele, diariamente, a desigualdade. É também por toda a nossa população, porque pintar a universidade de povo é o que garante um futuro de esperança para o nosso país”, publicou a UNE, sobre o Dia Nacional Pelo Adiamento do Enem.

Confira o atual calendário do Enem 2020:

  • Inscrições: 11 a 22 de maio
  • Pagamento da taxa de inscrição: 11 a 28 de maio
  • Solicitação de atendimento especializado do Enem impresso: 11 a 22 de maio
  • Solicitação para tratamento pelo nome social: 25 de maio a 1 de junho
  • Divulgação do Cartão de Confirmação da Inscrição: em outubro, data a definir
  • Provas presenciais: 1 e 8 de novembro
  • Gabarito e divulgação dos cadernos de questões: 11 de novembro
  • Provas Enem digital: 22 e 29 de novembro
  • Divulgação do gabarito do Enem digital: 2 de dezembro
  • Resultado individual: janeiro de 2021

Veja também: Professor de biologia se revolta contra Bolsonaro em live e viraliza

Veja também: Bolsonaro declara que Enem 2020 pode atrasar ‘um pouco’

Mais de Catraca Livre

image beaconimage beaconimage beacon