Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Eleições 2018: o que os candidatos pensam sobre programas sociais

Logotipo do(a) VEJA.com VEJA.com 08/06/2018 Guilherme Venaglia
Bolsa Família © VEJA Bolsa Família

Álvaro Dias (Podemos)

Opositor do Bolsa Família nos primeiros anos do programa, o pré-candidato agora defende o projeto e promete mantê-lo, incorporando capacitação profissional à transferência de renda.

Ciro Gomes (PDT)

Defende a manutenção do Bolsa Família. Para ele, o programa deve ser aprimorado e oferecer uma “porta de saída”. “O que emancipa uma nação é o trabalho dignamente remunerado.”

Flávio Rocha (PRB)

Embora ainda não detalhe como vai funcionar, promete a criação do “Bolsa Família 2.0”.

Geraldo Alckmin (PSDB)

Afirma ser a favor do Bolsa Família e defende sua ampliação se for necessário.

Guilherme Boulos (PSOL)

Defende a manutenção do Bolsa Família e criação de programas de acesso à moradia.

Henrique Meirelles (MDB)

Flexibilizou seu discurso para incluir atenção à área social e passou a elogiar programas como o Bolsa Família.

Jair Bolsonaro (PSL)

Antes crítico do Bolsa Família, agora defende a manutenção do programa “com auditoria”.

João Amoêdo (Novo)

É a favor do Bolsa Família e vê o programa com bom custo-benefício. “É uma solução que adota a crença na liberdade, na responsabilidade do indivíduo e no livre mercado, e não na gestão estatal”, escreveu.

Manuela D’Ávila (PCdoB)

Defende um “estado garantidor” das políticas públicas nos diversos setores, sobretudo em saúde, educação e segurança. Diz que seu foco está em melhorar a “eficiência” da prestação desses serviços

Marina Silva (Rede)

Defende a manutenção do Bolsa Família.

Rodrigo Maia (DEM)

Considera que o Bolsa Família “escraviza” as pessoas. “O programa bom é onde você inclui a pessoa e dá condições para que ela volte à sociedade e possa, com suas próprias pernas, conseguir um emprego”.

Mais de Veja.com

image beaconimage beaconimage beacon