Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Após denúncias de abuso sexual, outras mulheres acusam João de Deus

Logotipo do(a) Veja São Paulo Veja São Paulo 09/12/2018 Redação VEJA São Paulo
lo3d3618.jpeg: João de Deus © Veja SP João de Deus

Baixe o app Microsoft Notícias e fique atualizado sobre as notícias mais importantes para você. Disponível para iOS e Android.

Após as denúncias de mulheres que relataram terem sido abusadas pelo médium João de Deus, mais pessoas fizeram acusações semelhantes. Segundo o Jornal Nacional, da TV Globo, uma delas contou que tinha apenas quinze anos quando foi pela primeira vez à Casa Dom Inácio, em Abadiânia (GO).

Outra mulher afirmou que frequentava o local desde 1991, sempre na companhia de sua mãe. Porém, quando foi sozinha, foi vítima de violência sexual. Mais relatos seguem a mesma linha de acusação. Ao todo, quinze mulheres apareceram até agora. “Ele me pediu para ficar de costas e começou a passar a mão pelo meu corpo. Eu fiquei incomodada e pensei: até que ponto você pode deixar um médium passar a mão pelo seu corpo?”, disse uma vítima, cuja identidade foi mantida em anonimato.

João de Deus é um dos médiuns mais famosos do País e realiza, desde 1976, atendimentos e “cirurgias espirituais” na casa Dom Inácio Loyola, na pequena cidade de Abadiânia, em Goiás a 115 quilômetros de Brasília. Um documentário sobre sua vida foi lançado em maio deste ano.

Em nota enviada ao programa do Bial,  da TV Globo, a assessoria de imprensa do médium disse que “apesar de não ter sido informado dos detalhes da reportagem, ele rechaça veementemente qualquer prática imprópria em seus atendimentos”

.

Mais em Veja São Paulo

image beaconimage beaconimage beacon