Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Bebê com morte cerebral sobrevive após desligamento dos aparelhos

Logotipo do(a) Veja São Paulo Veja São Paulo 10/12/2018 Redação VEJA São Paulo
bebe-morte-cerebral-01 © Veja SP bebe-morte-cerebral-01

A vida do pequeno Kaleb Crook teve um começo pra lá de conturbado: com morte cerebral declarada, o então bebê não tinha chances de sobreviver — mas surpreendeu os médicos após o desligamento dos aparelhos. Hoje com 15 meses de vida, a criança continuou respirando mesmo após o procedimento, chegando até a apertar o dedo de sua mãe, Becki Crook.

Baixe o app Microsoft Notícias e fique atualizado sobre as notícias mais importantes para você. Disponível para iOS e Android.

Becki e o marido, Phil Crook, chegaram a dizer seu último adeus ao bebê de apenas 10 dias de vida, que sofreu uma lesão cerebral por causa de privação de oxigênio. O menino, no entanto, desafiou as probabilidades e comemorará seu primeiro Natal em família em Leicestershire, no Reino Unido. “O Kaleb deu um leve aperto no meu dedo e me olhou, como se quisesse dizer ‘tudo vai ficar bem, mamãe'”, relembrou a mulher sobre a recuperação surpreendente do filho. “Apesar da severa lesão cerebral e de suas necessidades complexas, ele adora sorrir, especialmente quando escuta a voz da irmã” disse ao Daily Mail.

Os médicos revelaram ao casal que Kaleb teria danos cerebral por causa da uma falta de oxigênio em algum momento durante a gravidez. Mãe de duas crianças, Becki ainda não sabe quando o problema aconteceu: “Eu dei à luz o Kaleb, e nós rapidamente notamos que ele estava pálido e não respirava”, lembrou a mulher, que precisou dar à luz na própria casa após entrar em trabalho de parto rapidamente. “Ele foi ligado aos aparelhos ao chegar no hospital, e os médicos disseram que encontraram mínima atividade cerebral e que não havia muitas esperanças…”, relembrou.

“Não havia nada que nós poderíamos fazer por ele. Eu não conseguia acreditar no que tinha acontecido com a nossa gravidez perfeita”, desabafou Becki. “Nós tivemos que nos preparar para desligar os aparelhos após os médicos revelarem que o Kaleb tinha sofrido um dano cerebral catastrófico. Eles disseram que ele provavelmente morreria imediatamente”.

Os médicos disseram ao casal que o bebê viveria por poucos minutos após o desligamento dos aparelhos mas, contrariando todas as probabilidades e um diagnóstico de um dano cerebral severo e irreversível, Kaleb sobreviveu. Apesar do prognóstico inconclusivo, a família está feliz e orgulhosa da criança: “Este é o nosso novo normal. Este Natal é um Natal que nós nunca esperamos comemorar. O Kaleb agora pode estar com a gente, experimentando as alegrias da vida, contrariando todas as previsões”.

“A nossa esperança é que o Kaleb experimente alegria e paz, em qualquer capacidade. Nós queremos que ele saiba como é amado”, contou Becki sobre o primeiro Natal da criança com a família. “Ninguém sabe o que o futuro reserva para o Kaleb, mas no momento ele está escolhendo a vida todos os dias, desafiando todos os diagnósticos. Ele é um milagre vivo”, finalizou a mulher. 

Dê sua opinião: E você, o que achou da história da família Crook? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

________________________________________________________________________________

Mais em Veja São Paulo

image beaconimage beaconimage beacon