Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Menina ianomâmi morre após ser estuprada por garimpeiros

Logotipo do(a) Ansa Ansa 26/04/2022 ANSA

(ANSA) - Uma menina ianomâmi, de 12 anos, morreu após ser estuprada por garimpeiros em uma comunidade na região de Waikás, na Terra Indígena Yanomami.

    A informação divulgada pelo portal G1 foi confirmada na noite da última segunda-feira (25) pelo presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye'kwana (Condisi-YY), Júnior Hekurari Yanomami.

    No vídeo, Hekurari disse que a menina de 12 anos estava sozinha na comunidade quando os garimpeiros chegaram e a levaram para as barracas deles. O corpo da criança deve ser encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), em Boa Vista (RR). Além da morte da menina, uma outra criança ianomâmi, de cerca de 3 anos, desapareceu após cair no rio Uraricoera. De acordo com relatos, o crime teria ocorrido na comunidade Aracaçá.

    "A tia dela defendeu [a sobrinha]. Quando estava defendendo, os garimpeiros empurram ela em direção ao rio junto com a outra criança. Essa criança se soltou no meio do rio, acho que estava em um barco. Eles invadiram e levaram [a menina] para o barraco dos garimpeiros e a violentaram brutalmente, estupraram essa adolescente. Moradores de lá me disseram que ela morreu. Então, é muito triste, muito triste mesmo", disse Hekurari ao G1.

    A área onde o crime ocorreu é uma das mais atingidas pela invasão de mineradores ilegais. Na semana passada, a Hutukara Associação Yanomami já havia denunciado a violência sexual contra meninas e mulheres ianomâmi cometida por garimpeiros.

    (ANSA)

Mais de Ansa

image beaconimage beaconimage beacon