Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Bolsonaro chora ao lembrar de facada, em culto evangélico no Planalto

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 18/12/2019 Maurício Ferro
Bolsonaro chorou durante culto evangélico em salão no Palácio do Planalto © Sérgio Lima/Poder360 Bolsonaro chorou durante culto evangélico em salão no Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro participou nesta 3ª feira (17.dez.2019) de 1 culto evangélico de Ação de Graças no Palácio do Planalto. Diante de 1 salão lotado de autoridades e fiéis, o presidente chorou ao lembrar sobre o ataque a faca sofrido em Juiz de Fora (MG), durante a campanha eleitoral de 2018.

“Desculpem-me. Poucos têm uma segunda vida”, disse o presidente ao explicar o choro.

“Glória a Deus! Aleluia!”, respondeu o público em gritos dessincronizados.

O presidente continuou: “Obrigado a Deus por essa 2ª vida. Entendo também que, pelas mãos de vocês, hoje sou o chefe do Executivo. Posso ser o chefe do Poder mais importante da República, mas o homem do Brasil é Deus”.

Bolsonaro afirmou que depois do atentado, “só pedia que Deus não deixasse órfã a filha de 7 anos”. “O resto, com amigos e com brasileiros de verdade, nós superaríamos os obstáculos”, acrescentou.

“É motivo de honra e de orgulho e de satisfação vê-los publicamente aceitando Jesus nesta Casa”, prosseguiu, sendo interrompido pelos aplausos.

Ao conseguir continuar, falou: “Nessa casa que estava carente da sua palavra. O Brasil mudou.”

“Aleluia!”, respondeu o público, em uníssono.

O presidente Jair Bolsonaro participa de culto evangélico no Palácio do Planalto © Sérgio Lima/Poder360 O presidente Jair Bolsonaro participa de culto evangélico no Palácio do Planalto

O culto

O presidente da República foi o último a falar no evento realizado em salão no 2º andar do Palácio do Planalto. “Temos aqui mais de 600 pastores no centro do Poder”, disse o pastor Fontenelle em seu discurso. “O inferno está sendo abalado”, acrescentou.

Damares Alves corrigiu o pastor ao ser anunciada como ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos. “Não é ministra, não. É pastora canelinha de fogo”, afirmou. A plateia reagiu com gritos de “Aleluia” e “glória a Deus”.

Damares prosseguiu. Mencionou a queda do número de homicídios neste ano e falou que “o milagre está só começando”.

Em seguida, quem tomou a palavra foi o bispo Renato Cardoso, da Igreja Universal do Reino de Deus. Citou João 8:32. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” É o trecho bíblico que o presidente costuma repetir .

De acordo com Cardoso, “a verdade é uma só”: Deus. “O problema”, disse ele, “é que cada 1 tem a sua verdade” –as opiniões. O bispo defendeu que as opiniões sejam “colocadas de lado” para que se chegue à “verdadeira verdade”.


________________________


Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon