Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Fatos envolvendo Moro não podem contaminar andamento da Previdência, diz presidente da comissão

Logotipo do(a) Reuters Reuters 10/06/2019
Ministro da Justiça, Sergio Moro © Reuters/ADRIANO MACHADO Ministro da Justiça, Sergio Moro

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), afirmou nesta segunda-feira que é preciso ter a responsabilidade de não se deixar contaminar a tramitação da proposta após a divulgação de reportagens que apontam suposta combinação entre o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, com integrantes do Ministério Público Federal (MPF) que atuam na operação Lava Jato.

"Os fatos envolvendo o ministro Moro, se confirmados, atentam contra o Estado Democrático de Direito, mas temos a responsabilidade de não deixar que contamine o andamento da Reforma da Previdência, que seguirá o calendário definido pela comissão", disse Ramos em sua conta no Twitter.

O site Intercept Brasil publicou no domingo uma série de reportagens com base em o que diz ser arquivos recebidos de uma fonte anônima mostrando suposta colaboração entre o então juiz federal Moro e o coordenador da operação Lava Jato no Ministério Público Federal, Deltan Dallagnol.

O MPF confirmou que os procuradores da operação foram vítimas de um ataque de hackers em que foram obtidas cópias de mensagens e arquivos, e negou em nota que tenha havido parcialidade ou qualquer ilegalidade em sua conduta. Também em nota, Moro afirmou que não houve "qualquer anormalidade ou direcionamento da atuação enquanto magistrado".

Vídeo: Lava Jato teria agido contra Lula para evitar volta ao poder (AFP)

A SEGUIR
A SEGUIR

Quer receber as principais notícias do MSN Brasil pelo Facebook Messenger?
Inscreva-se agora.

Mais de Reuters

image beaconimage beaconimage beacon