Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Problemas circulatórios crescem 30% no verão: 9 sinais que não devem ser ignorados

Logotipo do(a) Vix Vix 24/01/2018 Ligia Lotério

circulacao problemas 0118 400x800 © Artemida-psy/Shutterstock circulacao problemas 0118 400x800

Sentir pés e pernas inchados no verão pode ser um sinal de alerta. Segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular do Rio de Janeiro (SBACV-RJ), as temperaturas quentes elevam em 20% a 30% o risco de doenças vasculares, já que o calor faz com que as veias se dilatem e ainda aumenta a pressão vascular exercida sob os membros inferiores.

“Quando as válvulas que ajudam a circulação a fluir de baixo para cima não funcionam, o sangue se acumula nas veias das pernas, fazendo com que fiquem sobrecarregadas e dilatem. O calor facilita essa situação”, explica Breno Caiafa, presidente da SBACV-RJ.

Pessoas que têm varizes devem estar ainda mais atentas, já que são mais vulneráveis à doença venosa crônica, marcada pela incapacidade das veias das pernas de bombearem sangue suficiente para o coração, o que facilita o aparecimento de edemas, úlceras varicosas e trombose.

Tais mudanças são capazes de piorar quadros já existentes de doenças vasculares, mas também podem desenvolver disfunções do gênero em quem nunca as apresentou.

Tipos de problemas circulatórios

sistema circulatorio 0118 400x800 © yodiyim/Shutterstock sistema circulatorio 0118 400x800

O angiologista Julio Peclat, diretor de publicações da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), explica que problemas circulatórios podem ter origem arterial, venosa e linfática.

A primeira refere-se a doenças que afetam as artérias, como ateroesclerose, que é o entupimento dos vasos por placas de gordura, o que pode levar a um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto.

A segunda é a venosa, que afeta as veias do corpo. Seu exemplo mais comum é a trombose venosa, condição caracterizada pela formação de um coágulo de sangue.

O último exemplo é a doença linfática, que afeta o sistema do corpo responsável por transportar a linfa, líquido transparente que serve para equilibrar as células. Há diversos tipos de doenças do gênero, sendo a mais conhecida o linfedema, que é o edema dos vasos linfáticos.

Principais sinais de má circulação

inchaco nos pes 0317 400x800 © vidka/iStock inchaco nos pes 0317 400x800

Independente de ter origem venosa, arterial ou linfática, a má circulação gera sintomas que parecem banais, mas merecem atenção. Coincidentemente, a maior parte deles se concentra nas pernas.

Os principais sinais de má circulação são:

Dor nas pernas

Inchaço nos membros inferiores

Sensação de peso nas pernas

Queimação nas coxas, canelas e panturrilhas

Cansaço nas pernas

Dificuldade para caminhar

Dor ao caminhar

Varizes

Vasinhos visíveis sob a pele

O que fazer?

Ao notar associação de alguns dos sintomas, é essencial buscar ajuda médica o quanto, pois ignorar sintomas de problemas circulatórios pode aumentar a chance de complicações como AVC e embolia pulmonar.

Segundo a cirurgiã vascular Cristiane Gomes, membro da SBACV do Rio de Janeiro, é indicado buscar auxílio de um especialista antes de partir para medidas alternativas, como meia elástica, e reservar períodos para ficar com as pernas elevadas.

"Adotar ações sem ter o prévio conhecimento do assunto pode ser ruim. Por exemplo, a meia de compressão é boa para problemas de circulação venosa e linfática, mas não para a arterial. Assim, só um especialista saberá recomendar o que deve ser feito", ressalta.

Problemas de má circulação

Pé inchado pode ser sinal de que coração não está funcionando bem

Sintomas que o corpo dá ao sofrer com trombose por anticoncepcional

Má circulação causa 5 problemas em grávidas: saiba solucioná-los


Siga o MSN no Facebook

Mais de Vix

image beaconimage beaconimage beacon