Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

Vacinação contra febre amarela em SP: onde tomar, sistema de senhas por bairros e mais

Logotipo do(a) Vix Vix 23/01/2018 Nathália Geraldo

vacinacao febre amarela 2 0118 400x800 © Pixel_away/iStock vacinacao febre amarela 2 0118 400x800

A aplicação de doses fracionadas da vacina e o atendimento por senha, entregue na casa das pessoas por profissionais de saúde, são duas das principais iniciativas da Prefeitura de São Paulo para atender a população na vacinação contra a febre amarela.

A Administração municipal também dividiu o período de vacinação, que começa no dia 25 (aniversário da Cidade e, portanto, feriado municipal), entre os bairros de acordo com os critérios prioritários. A estimativa é que até o final de maio todas as áreas sejam contempladas.

Entenda agora quando e onde você poderá ser imunizado e, ainda, quais são os grupos que podem e não podem tomar a vacina contra a febre amarela.

Febre amarela em São Paulo: o que você precisa saber

rua sao paulo pedestre 0118 400x781 © Tupungato/Shutterstock rua sao paulo pedestre 0118 400x781

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que todo o Estado de São Paulo é área de risco para a febre amarela.

Com base na campanha promovida pela Secretaria estadual de Saúde, isso significa que tanto os moradores da Capital quanto quem mora na Grande São Paulo, no Vale do Paraíba e na Baixada Santista precisa se imunizar.

E um adendo: mesmo que você more em outro estado, se for viajar para o Estado de São Paulo ou outras cidades que foram consideradas áreas de risco, precisa se vacinar.

Campanha de vacinação dividida por bairros

mosquito febre amarela 400x800 0117 © khlungcenter/shutterstock mosquito febre amarela 400x800 0117

A Prefeitura de São Paulo anunciou que profissionais de saúde irão distribuir senhas na casa dos moradores, para evitar as filas gigantescas que se formaram em frente aos postos de saúde, a partir de quinta-feira (25). Não haverá entrega de senha nas unidades de saúde.

Até dia 24 de janeiro, as UBSs continuam distribuindo as vacinas sem seguir esse calendário.

Até 24 de fevereiro, serão contemplados os moradores de 16 distritos da Capital definidos como áreas prioritárias, a saber:

Zona Leste

Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianases, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael.

Zona Sul

Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luís, Pedreira, Socorro, Campo Limpo e Vila Andrade.

Seguindo o cronograma, em março, serão atendidos os moradores das zonas leste e Sudeste: Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera, Jardim Helena, Lajeado, Ponte Rasa, São Miguel, Vila Curuçá, Vila Jacuí, Arthur Alvim, Cangaíba, Carrão, Penha, Tatuapé, Vila Matilde.

Em abril, a campanha chega ao Centro e a parte das zonas oeste e sul: Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República, Santa Cecília, Sé, Alto de Pinheiros, Barra Funda, Butantã, Itaim Bibi, Jaguará, Jaguaré, Jardim Paulista, Lapa, Morumbi, Perdizes, Pinheiros, Rio Pequeno, Vila Leopoldina, Vila Sônia, Campo Belo, Campo Grande, Cidade Ademar, Santo Amaro.

Maio, por fim, será o mês em que moradores de Água Rasa, Aricanduva, Belém, Brás, Cursino, Ipiranga, Jabaquara, Moema, Mooca, Pari, Sacomã, São Lucas, Sapopemba, Saúde, Vila Formosa, Vila Mariana e Vila Prudente serão vacinados.

Os moradores da Zona Norte e da Sudoeste em contato com Itapecerica da Serra tiveram campanha de vacinação ainda em 2017.

Postos de Vacinação: como saber onde ir

O planejamento prevê disponibilizar a relação de ruas que serão visitadas pelos agentes de saúde para entrega de senha diariamente no site da Secretaria de Saúde municipal .

Uma pessoa poderá pegar senha para todos os membros da família e, após entregue, o grupo terá um ou dois dias para ir à UBS indicada para se vacinar. Será possível marcar, ainda, se a pessoa deve ir no período da manhã ou da tarde à unidade.

Situação de viagem para área de risco

vacina injecao adulta 117 400x800 © Production Perig/shutterstock vacina injecao adulta 117 400x800

É importante destacar que, em situações de extrema necessidade, os moradores de São Paulo que irão viajar para regiões de risco, em qualquer parte do território nacional, devem procurar unidades específicas que aplicarão a dose fracionada da vacina contra a febre amarela. É preciso tomar com 10 dias de antecedência.

Se você não vai viajar, não procure essas unidades.

UBS Boracéa (Santa Cecília)

UBS Dr. Carlos O. de Souza L. Muniz (Ponte Rasa)

UBS Vila Curuçá e Jardim Campos (Vila Curuçá)

UBS Vila Jacuí, AMA/UBS Integrada Vila Palmeiras (Freguesia do Ó)

AMB Especialidades Tucuruvi (Santana)

AMA/UBS integrada Paulo VI (Raposo Tavares)

UBS José Marcílio Malta Cardoso (Rio Pequeno)

UBS Parque da Lapa (Vila Leopoldina)

UBS Jardim Edite (Itaim Bibi)

AMA/UBS Integrada São Vicente de Paula (Ipiranga)

Hospital Dia da Rede Hora Certa (Penha)

UBS Vila Prudente

UBS Jardim Miriam II (Cidade Ademar)

UBS Vila Constância (Cidade Ademar)

UBS Chácara Santo Antônio (Santo Amaro)

Tipo de vacina na rede pública

A vacina dada nas UBSs será com doses fracionadas, uma forma de agilizar e ampliar a cobertura da vacinação, e seguem diretrizes da OMS.

Nesta modalidade, a vacina tem 0,1 ml (a dose padrão tem 0,5 ml) e validade de, no mínimo, oito anos.

Alguns grupos receberão a dose integral da vacina, de acordo com a Secretaria estadual de Saúde.

São crianças de 9 meses a menores de dois anos; pessoas com HIV/Aids; pacientes no final do tratamento de quimioterapia e gestantes (todos esses devem procurar orientação médica para verificar se há contraindicações) e viajantes internacionais.

Vacina contra febre amarela na rede privada

Apesar de ser possível tomar vacina da febre amarela na rede particular, em clínicas e laboratórios, as doses estão esgotadas nas últimas semanas em estabelecimentos de São Paulo. A vacina custa a partir de R$ 160.

A previsão da Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas é que o reabastecimento volte a ser feito no final de fevereiro.

Como a vacina age

A vacina contra a febre amarela protege da doença transmitida por mosquitos (e não por macacos, vale lembrar) e contém o vírus da doença atenuado, isto é, o vírus vacinal, muito mais fraco do que o que está na natureza.

Por isso, em casos raros, é possível ter efeitos colaterais após a vacinação. Por essa razão, os órgãos públicos de saúde restringem as campanhas a pessoas que estejam em áreas de risco, conforme levantamento prévio.

Por fim, quem já tomou a vacina integral da febre amarela alguma na vez na vida não precisa se preocupar, pois já está imunizado.

Fique por dentro

Febre amarela tem cura? Como é tratamento e recuperação

Entenda a diferente entre febre amarela silvestre e urbana

Afinal, a vacina é segura? O que dizem especialistas

Vídeo: Febre amarela: SP fecha Zoológico, Safári e Jardim Botânico (Via Veja.com)

A SEGUIR
A SEGUIR

Siga o MSN no Facebook

Mais de Vix

image beaconimage beaconimage beacon