Você está usando um navegador antigo. Por favor, utilize versão suportada para ter acesso às melhores funções do MSN.

A partir de março, Rio não terá mais voos diretos para Nova York

Logotipo do(a) Poder360 Poder360 03/01/2019 Marlla Sabino
Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão © Tânia Rêgo Aeroporto Internacional Tom Jobim/RioGaleão

Os passageiros que desejam voar do Brasil para Nova York terão menos opções de voos diretos a partir de 2019. Em março, a American Airlines e a Delta vão interromper a operação do trecho com origem no Aeroporto Internacional Tom Jobim, mais conhecido como Galeão, no Rio de Janeiro.

A American Airlines deixará de operar os 7 voos semanais do Galeão com destino a Nova York. Já a Delta opera apenas voos sazonais durante a alta temporada. Até 9 de março, a empresa oferecerá a rota diariamente. De 10 a 30 de março, serão 5 voos semanais.

As empresas não são as primeiras a desistirem da rota. Em julho de 2017, a Latam deixou de operar voos do Rio para Nova York. Recentemente, a companhia anunciou que a partir de 1º de abril deixará de oferecer voos para Miami e Orlando com origem no aeroporto internacional fluminense também.

Com a interrupção da rota no Galeão, apenas o aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo, terá voos diretos para Nova York. A American Airlines, a Avianca, que oferece saídas diárias, a Latam e a Delta operam voos diretos para o Estado norte-americano.

A expectativa da concessionária do aeroporto do Galeão é que “com a retomada da economia do país e do Estado do Rio de Janeiro, os voos da American Airlines para Nova York retornem ao Aeroporto Internacional Tom Jobim e/ou as frequências da Delta se tornem regulares”.

400 mil voaram para NY até outubro

Segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), 404.735 passageiros foram transportados do Brasil para aeroportos de Nova York e 389.033 de Nova York para aeroportos brasileiros até outubro de 2018.

A agência reguladora afirmou, por nota, que não há limite máximo de voos semanais entre Brasil e Estados Unidos, devido o acordo de serviços aéreos firmado pelos países.

“A operação em Nova York depende de acordos comerciais entre empresas aéreas e operadores aeroportuários e não da outorga de autoridades da aviação civil”, diz a nota.

Atualmente, são 246 voos semanais regulares e não regulares entre os países, independente do aeroporto de destino nos Estados Unidos:

  • American Airlines: 60
  •  Avianca: 18
  • Azul: 34
  • Delta: 27
  • Gol: 19
  • Latam: 53
  • United: 35

A empresa não precisa informar a agência reguladora da interrupção do serviço ao cancelar uma rota. Segundo a Anac, a Atlas Air e a Cargot pararam de operar voos do Brasil para os EUA nos últimos anos.

__________________________________________

Mais no MSN:

Reviva a era de ouro da aviação em fotos antigas

Veja as notícias mais importantes do dia no seu celular com o app Microsoft Notícias. Disponível para iOS e Android. Baixe agora.

Este recurso não tem suporte na versão do seu navegador. Recomendamos atualizar para a versão mais recente do Internet Explorer para usá-lo.

Mais de Poder360

image beaconimage beaconimage beacon