Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Nova era das relações Angola - Rússia: A influência de Isabel dos Santos perde espaço?

Logótipo de dw.com dw.com 04/04/2019 Nádia Issufo

O poder de Isabel dos Santos em Angola deveu-se principalmente ao fato de ser filha do ex-Presidente do país, José Eduardo dos Santos, mas a sua veia russa fez a diferença na esfera dos negócios.

Isabel dos Santos posing for the camera: Provided by Deutsche Welle © picture-alliance/dpa/epa/B. Fonseca Provided by Deutsche Welle

É sabido que o poder de Isabel dos Santos em Angola deveu-se principalmente ao facto de ser filha do ex-Presidente do país, José Eduardo dos Santos. Mas a sua poderosa veia russa foi um extra que fez a diferença no seu poder de influência que não se ficou pela esfera dos negócios.

Há anos que determinados setores entendem que o casamento do ex-Presidente José Eduardo dos Santos com a cidadã russa Tatiana Kukanova, mãe de Isabel dos Santos, foi uma caminho facilitado para a influência russa em Angola. É um exagero afirmar isso?

Conversamos com José Milhazes sobre o assunto e o historiador, especialista nas relações entre os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e a ex-União Soviética, começou por responder a essa pergunta: "Não, não é porque no caso da dívida angolana à União Soviética a família do ex-Presidente angolano teve um papel muito importante, nomeadamente na forma como foi tratada e na forma como naquela altura desapareceu muito do dinheiro, que fazia parte dessa dívida. Além disso penso que as relações nessa altura não eram de todo transparentes. E neste momento poderá haver possibilidade das relações entre Angola e a Rússia se tornarem mais transparentes, se o Presidente angolano avançar com a sua política de abertura como ele vem tentando demonstrar nos últimos tempos."

Ligações à Rússia

À medida que Isabel dos Santos foi aumentando a sua esfera de influência a relação com a Rússia passou a ser cada vez mais importante. Milhazes considera que Isabel era uma representante dos interesses russos em Angola, além disso manteve sempre bom relacionamento com os mais poderosos: "Ela tinha e tem fortes ligações a alguns círculos, digamos, oligárquicos russos. Ela tinha negócios com eles e claro que tinha uma forte influência no campo das relações económicas e não só, entre Luanda e Moscovo."

José Milhazes © DW/J.Carlos José Milhazes

O atual Presidente angolano, João Lourenço, quer minimizar o grau de influência da família de José Eduardo dos Santos na sua actual governação. Apesar disso o especialista considera que isso não vai impedir que os negócios de Isabel dos Santos continuem a crescer nem que seja em territórios como a Rússia. "Eu penso que a pouco e pouco o Presidente angolano se vai distanciar da família de José Eduardo dos Santos e também vai tentar com que essa família não influencie na sua política externa nomeadamente com a Rússia. Agora isso não significa, que a senhora Isabel dos Santos não vá continuar a ter negócios com empresários russos ou com a Rússia. Pode até aumentar, porque ela começando a ter dificuldades em Angola, poderá eventualmente tentar ir para mercados que ela considera mais seguros para os seus negócios."

Perda de influência

Isabel dos Santos tem vindo a perder a sua influência em várias áreas.Primeiro no setor empresarial a sua posição em grandes empresas como a Unitel ou a Sonangol começa a perder força. Mas também nível politico João Lourenço retirou a tutela da coordenação do Plano Diretor Geral Metropolitano de Luanda e da construção da barragem Caculo Cabaçarou à filha do ex-Presidente de Angola.

Assim sendo José Milhazes considera que a Rússia não vai tentar exercer a sua influência através da sua amiga Isabel do Santos. "Eu acredito que neste momento não será essa a intenção da Rússia, porque seria um pouco navegar contra o vento".

por:content_author: Nádia Issufo

AdChoices
AdChoices

Mais de dw.com

image beaconimage beaconimage beacon