Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Memórias da ida à lua

Há cinquenta anos dois astronautas da NASA pousaram na lua. A proeza marcou profundamente os cientistas que viriam a trabalhar na Agência Espacial Europeia (ESA). Jan Wörner, director-geral da Agência Espacial Europeia, lembra-se bem de como ficou empolgado com a missão da NASA. "Nessa altura tinha quinze anos. Tínhamos uma televisão e eu fiquei sentado diante da televisão a noite toda. Estava de tal forma excitado que não fui dormir", disse Jan Wörner, Director Geral da Agência Espacial Europeia (ESA). David Parker, Director de Desenvolvimento Humano e Robótico da Agência Espacial Europeia, lembra-se perfeitamente de ter visto a chegada à lua numa televisão a preto e branco. "Sou tão velho que me lembro da chegada à lua. Lembro-me de vê-la numa televisão a preto e branco na escola quando era criança. Foi um tempo de inspiração e de desafio tecnológico, houve o primeiro voo do Concorde e muitas outras coisas, que foram um grande estímulo, pessoalmente", disse David Parker, Director de Desenvolvimento Humano e Robótico da Agência Espacial Europeia. Para celebrar os 50 anos do evento, a NASA restaurou a sala de controlo que pilotou na terra a missão Apolo. "Quando fui selecionada como diretora de voo, fui para essa sala. Foi há muitos anos, na altura em que fui nomeada diretora de voo, e não chefe. Fui até ao Centro Espacial Johnson, sentei-me na sala de controlo e pensei na enorme responsabilidade de dar continuidade a esse legado", disse Holly Ridings, Directora de Voo da NASA. A missão Apolo continua a inspirar a nova geração de cientistas. "A minha parte favorita da missão Apolo 11 é o disco com mensagens de boa vontade de setenta países que foi levado para a lua. Podia ter sido um evento patriótico exclusivamente americano do tipo "somos melhores que a Rússia". Em vez disso, eles aproveitaram a oportunidade para levar todas aquelas mensagens de paz para a lua", disse Tanya Harrison, cientista planetária. Para os astronautas da Estação Espacial Internacional, a missão Apolo 11 constitui um marco. "Não sei se estamos a seguir as pegadas dos primeiros exploradores. Eles fizeram algo incrivelmente único e corajoso. Talvez estejamos na sombra. Esperemos que possamos honrar a coragem deles e contribuir para a exploração do espaço", disse Luca Parmitano, Astronauta da Agência Espacial Europeia.
image beaconimage beaconimage beacon