Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Um icebergue com o dobro do tamanho de Nova Iorque está em vias de separar-se da Antártida

Logótipo de Expresso Expresso 25/02/2019 Expresso

Os cientistas asseguram que o bloco de gelo não vai, “provavelmente”, figurar na lista dos 20 maiores icebergues da Antártida. Ainda assim, “poderá ser o maior a separar-se da plataforma de gelo de Brunt desde que a observação começou, em 1915”

Expresso © UniversalImagesGroup/Getty Images Expresso

Tem duas vezes o tamanho de Nova Iorque e está em vias de descolar-se da Antártida, motivando algumas incertezas e preocupações. A continuidade dos investigadores na plataforma estará em causa, conta a Fox News.

Aquilo que se transformará num icebergue robusto está localizado na plataforma de gelo de Brunt. Embora impressione o rótulo “duas vezes maior do que Nova Iorque”, os cientistas asseguram que o bloco de gelo não vai, "provavelmente", figurar na lista dos 20 maiores icebergues da Antártida. Ainda assim, “poderá ser o maior a separar-se da plataforma de gelo de Brunt desde que a observação começou, em 1915”, revela este artigo na página oficial da NASA.

O problema prende-se com duas enormes fissuras que deverão encontrar-se num futuro mais ou menos próximo. A Halloween crack apareceu em outubro de 2016 e continua a crescer. No meio da imagem abaixo vê-se a maior preocupação dos cientistas por estes dias. Aquela fissura encontrava-se estável há 35 anos, mas recentemente começou a galgar terreno e a abrir caminho rumo à independência do icebergue acima mencionado.

Expresso © NASA Expresso

Quando aquela fissura, que rasga o gelo rumo a Mcdonald Ice Rumples (quatro quilómetros por dia), se juntar à Halloween crack, haverá um bloco de 1700 quilómetros quadrados à deriva.

As placas de gelo que envolvem a Antártida têm perdido volume a uma velocidade preocupante (e crescente) nas últimas duas décadas, contava um estudo publicado na “Science” (2015), aqui citado no Globo.

Os investigadores da Universidade da Califórnia e do Centro de Pesquisa de Terra e Espaço revelavam então preocupação quanto à rapidez que se verificava, à boleia do aquecimento global, a subida do nível global do mar.


Veja também: Hernâni é surpreendido pela mulher: "Temos uma relação muito apaixonada"

A SEGUIR
A SEGUIR

Descarregue aqui a app Microsoft Notícias e esteja sempre a par do que se passa no país e no mundo a partir das fontes mais credíveis

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon