Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Podemos exige a Sánchez um papel mais importante

O líder do partido socialista espanhol, Pedro Sánchez, enfrenta hoje um voto para a investidura como primeiro-ministro que, segundo todas as previsões, está condenado ao fracasso, ao necessitar de uma maioria absoluta. Mas Sánchez está já de olhos postos num segundo voto, na próxima quinta-feira, para o qual lhe basta uma maioria simples, possível se chegar a acordo com o Podemos. No entanto, ontem, o líder da formação da extrema-esquerda Pablo Iglesias exigiu um papel mais importante do seu partido numa eventual aliança governamental: "Necessitamos competências e responsabilidades de governo em acordo com o nosso peso eleitoral para formar parte de um governo com vocês e para chegar a um acordo de investidura. Tenho de dizer-lhe com toda a clareza: respeite os nossos 3,7 milhões de eleitores e não nos proponham ser uma simples decoração no seu governo, porque não podemos aceitá-lo." Se as negociações tiverem sucesso, Espanha terá o primeiro governo de coligação, com os primeiros ministros da esquerda radical desde o fim da ditadura. Se falharem, Sánchez terá ainda dois meses para uma nova tentativa de investidura e para evitar que os espanhóis voltem às urnas.
image beaconimage beaconimage beacon