Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

China aprova vacina contra a Covid-19 para uso exclusivo dos militares

Logótipo de SIC Notícias SIC Notícias 29/06/2020 SIC Notícias, Lusa

Uma das vacinas mais promissoras para combater o novo coronavírus.

© Carl Recine

A China aprovou hoje uma vacina contra o novo coronavírus para uso interno no Exército de Libertação Popular, as forças armadas do país, após resultados positivos nos ensaios clínicos.

A vacina foi criada pelo Instituto Científico Militar e a empresa biofarmacêutica chinesa CanSino Biologics, segundo um comunicado desta firma, que tem sede na cidade portuária de Tianjin, nordeste da China.

A nova vacina recorre a clonagem molecular da covid-19, técnica da engenharia genética conhecida também por ADN recombinante, e foi aprovada para "uso exclusivo dos militares" chineses, em 25 de junho, pela Comissão Militar Central, segundo a imprensa local.

A aprovação é válida por um ano.

A vacina da CanSino passou pelas fases um e dois de testes, que indicaram que tem "potencial para prevenir doenças causadas pelo Sars-Cov-2", o vírus que causa a covid-19, detalhou a CanSino em comunicado.

Sete candidatos a vacina desenvolvidos por empresas chinesas estão em fase de testes clínicos na China.

As vacinas em desenvolvimento mais promissoras

Laboratórios por todo o mundo estão numa corrida contra o tempo para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus. Há cerca de 150 equipas a testar vários candidatos.

Há algumas que estão um pouco mais avançadas e são promissoras, mas os cientistas avisam que nenhuma deverá estar pronta antes do fim deste ano.

​​​​​​​

Universidade de Oxford e laboratório AstraZeneca

Pfizer e BioNTech

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a alemã a BioNTech estão a desenvolver a vacina BNT162 que em breve estará em ensaios clínicos.

CanSino

A Academia Militar de Ciências Médicas do Exército Chinês, em colaboração com a empresa CanSino BIO, está a trabalhar numa vacina que usa um adenovírus.

Farmacêutica Moderna

A empresa de biotecnologia dos Estados Unidos anunciou resultados positivos para uma potencial vacina contra o novo coronavírus. Garantiu que os organismos dos oito pacientes que receberam as duas doses produziram anticorpos.

Imperial College

O britânico Imperial College iniciou os testes clínicos à vacina contra a Covid-19 em 300 voluntários. Numa segunda fase, que será iniciada, em outubro, o ensaio será feito a 6 mil pessoas.

Mais de meio milhão de mortos e 10 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia da covid-19 já matou mais de 500.000 pessoas e infetou 10.099.576 em todo o mundo desde que a doença foi detetada na China, em dezembro, segundo um balanço da agência AFP até às 22:00 TMG (23:00 em Lisboa) de domingo.

No total, foram contabilizadas 500.390 mortes a nível global, 196.086 das quais na Europa, o continente mais atingido.

Os Estados Unidos são o país onde se registou o maior número de mortes (125.747), seguindo-se o Brasil (57.622), o Reino Unido (43.550), a Itália (34.738) e a França (29.778).

O número de mortes registadas duplicou em pouco menos de dois meses, depois de ter alcançado os 250 mil óbitos no dia 05 de maio.

Países mais afetados:

  • Estados Unidos, com 125.768 óbitos e 2.544.169 casos
  • Brasil, com 57.070 mortes e 1.313.667 casos
  • Reino Unido, com 43.550 mortes e 311.151 casos
  • Itália, com 34.738 mortes e 240.310 casos
  • França, com 29.778 mortos e 199.343 casos.
  • China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) ccom 83.500 casos, 4.634 mortes e 78.451 pessoas que se curaram.

Continentes e regiões mais atingidos:

  • Europa totaliza 196.085 mortes em 2.642.741 casos
  • Estados Unidos e o Canadá somam 134.277 mortes em 2.638.191 casos.
  • América Latina e as Caraíbas registam 110.883 mortes em 2.438.389 casos
  • Ásia 33.107 mortes em 1.218.767 casos.
  • Médio Oriente contabilizam-se 15.505 mortes em 730.977 casos
  • África teve 9.657 mortes em mais de 382 mil casos
  • Oceânia regista 133 mortes em 9.158 casos.

Portugal com 1564 mortes e 41.646 casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou este domingo a existência de 1.564 mortes e 41.646 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu, de sábado para domingo, de 1.561 para 1.564, mais três, enquanto o número de infetados aumentou de 41.189 para 41.646, mais 457, o que corresponde a um aumento de 1,1%.

Há 458 doentes internados, mais 16 em relação a ontem. 75 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos, mais cinco face a sábado.

O número de casos recuperados subiu de 26.864 para 27.066, mais 202.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

AdChoices
AdChoices

Mais do SIC Notícias

image beaconimage beaconimage beacon