Está a utilizar uma versão de browser mais antiga. Utilize uma versão suportada para obter a melhor experiência possível com o MSN.

Covid-19. Atualização: 33 mortes em Portugal, sete são de pessoas abaixo dos 70 anos. O que diz o novo boletim da DGS

Logótipo de Expresso Expresso 24/03/2020 João Diogo Correia

Confusão com um óbito nos Açores faz DGS emitir o segundo boletim do dia. Pelo meio, a informação de outras mortes eleva o número de 23 para 33 em pouco mais de 24 horas

Número de infeções e mortes provocadas pela covid-19 atualizado pela Direção-Geral da Saúde © TIAGO MIRANDA Número de infeções e mortes provocadas pela covid-19 atualizado pela Direção-Geral da Saúde

Tudo começou com uma conferência de imprensa em que o secretário de Estado da Saúde, António Sales, referiu que o número de mortes em Portugal provocadas pela covid-19 tinha subido para 29 (eram 23 na segunda-feira). Seguiu-se um primeiro boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) onde apareciam, porém, 30 mortes, uma delas nos Açores. 

Horas depois, a Autoridade de Saúde Regional do arquipélago negou a existência de qualquer óbito provocado pela doença. E, a meio da tarde, a DGS esclarece com novo boletim: “o óbito registado na Região Autónoma dos Açores, caso suspeito para COVID-19, veio infirmado, ou seja, a DGS teve conhecimento após fecho do boletim de que o resultado é negativo para COVID-19.”

O número de mortes passaria assim para 29, não fosse a informação que entretanto chegou confirmar outros quatro pacientes que acabaram por morrer. Sendo assim, o número certo é 33.

Maioria dos óbitos acima dos 70

Pela primeira vez, a DGS faz uma caracterização etária dos óbitos. Ficamos assim a saber que apenas sete deles aconteceram com pessoas abaixo dos 70 anos: seis homens (dois na faixa dos 50-59 anos e quatro entre os 60 e os 69) e uma mulher (entre os 50-59 anos).

As dez mortes a lamentar nas últimas 24 horas aconteceram quase todas na região Norte do país (tem 14 no total). Na região Centro houve uma (são agora seis), em Lisboa houve quatro (passou para 12) e no Algarve mantém-se um único óbito a registar.

Há ainda 48 pessoas nas unidades de cuidados intensivos, mais uma do que havia na segunda-feira, e 203 pacientes internados (ontem eram 201).

Infeções sobem, mas menos do que até aqui

Subiu para 2.362 o total de infetados com covid-19 em Portugal, um aumento de quase 15% (14,6%) face à última atualização. É menos do que tinha acontecido em qualquer outro dia desde o início da pandemia — nas 24h anteriores, por exemplo, a subida tinha sido de perto de 29%.

Aqui é também a região Norte a apresentar os números mais altos, com quase metade dos doentes: 1.130 dos 2.362 confirmados no país. A subida de segunda para terça-feira, porém, não foi muito diferente da que se registou em Lisboa, que passou de 737 doentes para 852. De resto, de registar os números ainda baixos no Alentejo (mais uma pessoa, de cinco para seis) e no Algarve (de 42 para 46). Estão 293 infetados na região Centro do país e há 12 casos nos Açores e 11 na Madeira.

Sem surpresa, os concelhos mais fustigados são os de Lisboa (175) e Porto (126), seguidos de perto pela Maia (104) e outros três a Norte: Vila Nova de Gaia (68), Valongo (65) e Gondomar (56). Ovar, o único concelho isolado até ao momento, tem 55 casos, Matosinhos, também no Norte, 54, e Cascais e Sintra, em Lisboa, com 39 casos cada, completam a lista dos dez concelhos com mais casos confirmados.

O que também subiu foram as recuperações, que são agora 22, mais oito do que na segunda-feira. É um aumento de 57%.

Faixa dos 40 é a que tem mais infeções, mas idosos são os que mais preocupam

A caracterização demográfica dos casos confirmados em Portugal continua a contar a mesma história: há mais doentes infetados na faixa dos 40-49 anos, em número igual de homens e mulheres: 224 cada. Depois está a faixa seguinte, 50-59 anos, com 423 casos de covid-19.

Mas são as duas faixas etárias mais altas a preocupar, uma vez que das 30 mortes no país, apenas quatro tinham menos de 70 anos. Incluídas no grupo de risco, há agora 214 pessoas entre os 70 e os 79 anos com covid-19. E 168 com mais de 80 anos: 73 homens e 95 mulheres.

No extremo oposto estão as crianças, que até aos 9 anos apresentam 24 casos, ao passo que entre os 10 e os 19 anos há registo de 65 jovens infetados. Os números começam a disparar nas idades seguintes: 288 pacientes entre os 20 e os 29 e 394 na faixa dos 30 anos.

Grande maioria dos testes dá negativo

A chegada do covid-19 a Portugal deu-se por importação, mas esse número mantém-se estáveis: são 145, a maioria de Espanha (44), França (26) e Itália (20).

É por isso na transmissão comunitária, e no trabalho que pode ser feito para achatar a curva que está agora o foco. Portugal entra na fase de mitigação esta quinta-feira e tem até ao momento 15.474 casos suspeitos e 1.783 à espera do que vai dizer o resultado dos testes laboratoriais.

Há ainda 11.842 pessoas a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde e 11.329 cidadãos que fizeram o teste e apresentaram um resultado negativo.

Vídeo: Marta está infetada: "Perdi o paladar e o olfato de um dia para o outro" (SIC)

A SEGUIR
A SEGUIR

AdChoices
AdChoices

Mais do Expresso

image beaconimage beaconimage beacon